Produção Bancária: Definição, Medição da Produção Bancária

saída bancária

A definição de produto não é simples para um banco. Scaly e Lindiy (1977) argumentaram que os activos rentáveis (empréstimos, títulos, etc.) compreendem os resultados dos bancos, pelo que os depósitos, o capital e o trabalho devem ser tratados como factores de produção.

Na literatura mais recente, numa tentativa de reconhecer a natureza multiproduto da empresa, os resultados normalmente incluem empréstimos, outros activos lucrativos (por exemplo, títulos, activos interbancários), depósitose receita não proveniente de juros, que atua como uma proxy para fora do balanço "saída."

Os dados incluem o custo do capital físico (representado por despesas não decorrentes de juros/ativos fixos) e o preço do capital financeiro (representado por juros pagos/fundos adquiridos).

Medindo a produção bancária

A medição da “produção” de serviços produzidos pelas instituições financeiras tem programas especiais porque não são quantidades físicas. Portanto, tanto a produtividade quanto a qualidade do serviços bancários são difíceis de contabilizar.

No total, produção bancária. Para efeitos das contas nacionais de um país, deveria haver valor acrescentado, ou seja, lucros operacionais ajustados menos o custo do capital próprio dos accionistas. Contudo, os estudos empíricos empregam uma interpretação de “produção” ou “intermediação”.

A abordagem de produçãoA abordagem de intermediação
Esta abordagem trata os bancos como empresas que utilizam capital e trabalho para produzir diferentes depósitos e contas.Os resultados são medidos pelo número de contas de depósito e empréstimo ou transações por conta.
Os resultados são medidos pelo número de contas de depósito e empréstimo ou pelo número de transações por conta.O valor de empréstimos e investimentos mede os resultados.
Os custos totais são todos os custos operacionais usados para produzir esses resultados.O custo total é medido pelos custos operacionais (o custo dos factores de produção, como trabalho e capital) mais custos de juros.
A produção é tratada como um fluxo que é a quantidade de “produção” produzida por unidade de tempo, e o viés inflacionário está ausente.A produção é tratada como estoque, mostrando a quantidade determinada de produção em um determinado momento.

Os estudos de produtividade utilizam a Abordagem de Intermediação. A maioria dos bancos utiliza esta abordagem porque há menos problemas de dados do que a abordagem de produção.

Problemas com a abordagem de produção:

  • Há a questão de como pesar cada serviço bancário no cálculo da produção;
  • O método ignora custos de juros;
  • Dados de bancos em países que utilizam diferentes sistemas de contabilidade podem não ser comparáveis, dificultando a obtenção de medidas precisas de eficiência relativa.

Brechas nas duas abordagens:

  • Os riscos associados a cada empréstimo são ignorados
  • A estrutura de maturidade é ignorada
  • As mudanças no mercado bancário distorcem as medidas de produção.