Como funciona o resseguro facultativo [explicado com exemplo]

Como funciona o resseguro facultativo [explicado com exemplo]

Esta é a forma original de resseguro. A participação do ressegurador no risco não é pré-estabelecida por meio de um contrato permanente.

O resseguro deve ser contratado pela seguradora após receber uma proposta de seguro do suposto segurado e, de preferência, antes de dar qualquer cobertura ao proponente.

Normalmente, após receber uma proposta de seguro, a seguradora decide quanto pode reter naquele determinado risco.

Se permanecer saldo de retenção, ele vai ao mercado facultativo com o pedido de que os resseguradores se interessem pelo risco. Essa solicitação geralmente é feita por meio de um recibo detalhando as particularidades do risco.

Se um ressegurador estiver interessado no risco, ele rubrica o recibo indicando claramente a porcentagem ou valor do risco que está disposto a subscrever.

Desta forma, a seguradora passa de ressegurador para ressegurador, a menos que 100% do risco seja absorvido.

Só então a seguradora estará teoricamente segura em emitir uma cobertura ao segurado no valor total. Os alunos devem saber que os resseguradores não são obrigados a aceitar riscos quando abordados.

Resseguro facultativo explicado com exemplos

Exemplo:

A seguradora XYZ recebeu uma proposta de $10.000.000 de uma fábrica de juta. Para uma fábrica de juta, a retenção da empresa é de $1.000.000. A empresa não tem legitimidade acordo de tratado.

Isto significa que se a empresa XYZ tiver de aceitar o risco total, deverá optar pelo resseguro facultativo e experimentar o mercado até que a totalidade de $10 milhões seja absorvida.

Depois de tentar dez empresas, digamos pelos nomes A, B, C, D, E, F, G, H, I e J, o encerramento final do negócio pode ser o seguinte;

Empresa:Porcentagem de aceitaçãoQuantidade de aceitação
A20%$2,000,000
B15%$1,500,000
C15%$1,500,000
E10%$1,000,000
G10%$1,000,000
H10%$1,000,000
J.10%$1,000,000
XYZ (retenção)10%$1,000,000
 100%$10,000,000

Desta forma, todo o valor foi absorvido e não há dificuldade da Seguradora XYZ em assumir todo o risco de $10.000.000 da fábrica de juta.

O aluno deverá perceber pelo exemplo acima que as empresas D. F e eu também fomos julgadas, mas se recusaram a participar do risco como resseguradoras.

O aluno também deve compreender que se a empresa cedente (XYZ), depois de tentar todas as fontes possíveis, só conseguir gerenciar até 90% (incluindo sua retenção), então.

Em teoria, não teria sido possível da sua parte assumir o risco da fábrica de juta pelo montante total, uma vez que tal tentativa criaria uma pressão adicional indesejável sobre o seu fundo na ordem de $10.000.000, para a qual não há provisão lá.

Deve-se ter em mente pelos alunos que em caso de sinistro, o mesmo também será pago pelos resseguradores na mesma proporção.

Méritos do Resseguro Facultativo

  • Esse tipo de resseguro é vantajoso para a empresa cedente, pois ela pode escolher quais riscos serão ressegurados e quais não serão.
  • É vantajoso para os resseguradores porque podem aplicar a decisão de subscrição caso a caso e aceitá-la ou rejeitá-la. Isto não acontece nos acordos do tratado.

Deméritos do Resseguro Facultativo

  • As formalidades envolvidas na obtenção de cobertura são muito mais caras em comparação com o tratado.
  • Muitos inconvenientes estão previstos no procedimento envolvido.
  • O segurado fica inseguro durante o tempo necessário para a constituição da cobertura facultativa. Qualquer acidente pode ocorrer durante este período.
  • Tal situação decorrente de (iii) acima pode fazer com que o negócio seja perdido para um concorrente que possa ter cobertura automática do tratado.

Você deve notar que, embora os deméritos superem os méritos, tal prática ainda existe por necessidade e permanecerá, por mais vantajosos que sejam os acordos do tratado.