Por que o desenvolvimento precoce do cérebro na infância é importante [Guia completo]

Por que o desenvolvimento precoce do cérebro na infância é importante [Guia completo]

Você deve ter ouvido esse ditado com frequência. “Quando uma flor não desabrocha, você determina o ambiente em que ela cresce, não a flor.”

Digamos que as crianças sejam flores não desabrochadas ainda na fase de brotamento. Suponha que seu cérebro seja a flor que florescerá com suas habilidades cognitivas como inteligência, percepção, imaginação e memória (para citar algumas) para se prepararem para o mundo. Nesse caso, o meio ambiente desempenha um grande papel.

Isto nos leva ao nosso trecho de hoje, a importância do desenvolvimento do cérebro na infância e como ele pode ajudar a transformá-los em seres conscientes do futuro. Alguns dos conceitos básicos que discutiremos no trecho são os seguintes:

  • Por que o desenvolvimento inicial do cérebro é importante?
  • Fatores que afetam o desenvolvimento do cérebro de uma criança, tanto positiva quanto negativamente.
  • Como garantir o desenvolvimento cerebral do seu filho desde o final da infância até o início da infância.
  • Como escolher a instituição educacional certa para o seu filho, que pode garantir o desenvolvimento do cérebro.

Estatísticas do desenvolvimento cerebral infantil

Aqui estão as estatísticas do desenvolvimento inicial do cérebro por melhores escolas de jogos, que fornecerá um banco de dados sobre o desenvolvimento inicial do cérebro na infância.

  • Um recém-nascido pode ter a mesma quantidade de neurônios que um adulto. O que difere é o tamanho, daí as funções. O neurônio de um bebê é 25% daquele de um adulto e, com o tempo, ele se desenvolve. Os neurônios são muito importantes na detecção de informações sensoriais, que podem construir uma função cognitiva muito importante chamada percepção.
  • 90% das funções cognitivas se desenvolvem aos 5-6 anos de idade. Alguns podem até argumentar que é neste momento que o cérebro de uma criança é mais maleável, e sempre se pode lembrar o que lhes foi ensinado academicamente nesta fase. Pais e professores podem aproveitar esta oportunidade para ajudá-los a ensinar habilidades importantes, além de habilidades acadêmicas.
  • Aos 3 anos, a conexão sináptica atingiu 1.000 trilhões. Com o tempo, a densidade aumentará e será mais difícil que novas informações penetrem sem que as antigas interfiram. Isso é chamado de interferência retroativa na memória e é o menos ativo durante os primeiros anos.
  • Você sabia que o aprendizado e a formação da memória de um bebê ocorrem às cinco semanas de nascimento? Portanto, nunca é cedo para começar a ensinar-lhes os costumes do mundo. No entanto, a memória académica extrema pode não ser o seu ponto forte nos primeiros anos (excepto em alguns bebés que nascem com um QI excepcional). Portanto, com o cérebro em constante mudança de uma criança, você pode se concentrar mais em sua criatividade, imaginação e habilidades motoras.
  • A compreensão e o aprendizado da linguagem também são mais fortes durante os meses de desenvolvimento da fala, de 3 meses a 1 ano. Portanto, compreender a língua materna e a língua estrangeira será mais fácil mais tarde se você os expor agora.

Por que você não deve ignorar o desenvolvimento inicial do cérebro, desde a infância até os 5 anos de idade

Veja por que não ensinar habilidades importantes a seus filhos desperdiça esses anos dourados de desenvolvimento para uma criança.

1. É mais fácil desenvolver habilidades interpessoais

Algumas das habilidades sociais que serão mais fáceis de ensinar a uma criança no estágio de desenvolvimento do que mais tarde são as seguintes:

  • A criatividade é liderada pela curiosidade.
  • Habilidades de comunicação.
  • Compreensão da linguagem.
  • Adaptabilidade a diferentes situações: Sugere-se até que os pais não mimem muito os filhos. Como isso pode restringir sua adaptabilidade em anos posteriores.
  • Relações interpessoais com outras pessoas da família e fora dela.

No entanto, lembre-se de que certos ensinamentos podem não mostrar o resultado ideal à primeira vista e você terá que ser paciente.

2. A memória deles está clara

Já discutimos a interferência retroativa, onde nosso aprendizado anterior interfere em novas informações. Porém, uma criança cuja memória está se desenvolvendo a partir da terceira semana tem a mente clara diariamente.

Portanto, se você tem habilidades importantes para transmitir, não há melhor momento do que este. Essas habilidades não devem pertencer apenas à área acadêmica, mas também ensiná-los a ser independentes. Por exemplo, mecanismos de enfrentamento em termos de instabilidade emocional ou autodisciplina.

3. Mais fácil de desenvolver a resposta desejada

Falando em autodisciplina, a consciência da criança não está totalmente desenvolvida nessa fase. Portanto, eles são incapazes de julgar o que está errado e o que é certo.

No entanto, desde a primeira infância, é mais fácil obter a resposta desejada de uma criança. Eles aprendem muito com o ambiente e têm uma noção do que é certo e errado.

Portanto, este é o momento certo para fazê-los compreender a importância dos bons modos, do comportamento social ideal, do respeito e do discurso adequado. Pode-se fazer isso reforçando as recompensas do bom comportamento ou o impacto negativo do mau comportamento.

Como as crianças têm uma forte observação quando o cérebro está no estágio de desenvolvimento, é melhor ensiná-las por meio da positividade do que do medo.

4. Ótimo momento para uma introdução acadêmica

A vida acadêmica se recuperará quando eles iniciarem os estudos. Quer seja uma pré-escola ou você educa seu filho em casa antes que ele esteja pronto para o jardim de infância. No entanto, sugerimos fortemente que você matricule seu filho de 2 a 3 anos em uma pré-escola antes de começar a estudar.

Algumas das razões por trás desta decisão são as seguintes:

  • A escola não se trata apenas de aprender lições e lidar com exames. Trata-se também de sair do conforto de casa e passar metade do dia num ambiente social.
  • Habilidades sociais como comunicação, cooperação social e amizade são importantes para que uma criança tenha uma boa experiência na escola.
  • Portanto, este é o momento de seu filho começar a aprender, respeitar seus professores e se acostumar com o ambiente escolar, pois a vida acadêmica será a maior parte de seus anos de crescimento.

5. Ensinando Comportamento Social

Quando os bebês nascem em um bom ambiente, com pais ou responsáveis ​​atenciosos, é mais fácil para eles ficarem restritos aos seus próprios casulos. Se isso continuar até a idade de crescimento, pode levar a um mau comportamento social.

A criança pode acabar temendo qualquer cenário social, gerando ansiedade social desde muito jovem. Ou eles podem acabar tendo direito e se comportando mal.

É por isso que, para transmitir um bom comportamento social às crianças, tanto o ensino como a disciplina têm de andar de mãos dadas. Além disso, deve começar jovem para que o bom comportamento não seja apenas uma questão de consciência, mas um reflexo e o que é habitual.

Garantindo o desenvolvimento adequado do cérebro na infância

Tanto a natureza quanto a criação são responsáveis ​​pelo desenvolvimento inicial do cérebro de uma criança. Porém, não é a criança que determina isso. Em vez disso, é função dos pais garantir que tudo esteja em ordem antes que a criança comece a crescer.

Se você é um novo pai e se sente sobrecarregado com tudo que está acontecendo em sua direção, lembre-se de que você gostaria que seu filho se tornasse um ser humano responsável. Você já tem um cérebro 25% desenvolvido e, quando completar 3 anos, já estará muito refinado para 80%.

Então, em vez de se concentrarem exclusivamente na sua memória académica e na sua capacidade de compreensão, porque não torná-los autodisciplinados? Aqui estão algumas maneiras de conseguir isso.

1. Tenha um ambiente familiar saudável

Não é possível restringir todas as discussões familiares numa casa. No entanto, os psicólogos infantis restringem a ideia de fazer isso na frente de uma criança em crescimento. Sua maturidade emocional ainda está sob controle e a luta pode ter um impacto negativo em seu crescimento.

É sempre melhor deixá-los crescer em um ambiente positivo que não lhes cause muitos traumas desde tenra idade. Sim, compreender os conflitos humanos e lidar com eles é uma lição importante. No entanto, esta é uma lição que devem aprender com a sua própria experiência, e não com uma figura guardiã.

2. Não os pressurize ao extremo

Muitas vezes corremos atrás de qualificação acadêmica desde tão jovens que esquecemos como isso pode afetar o crescimento do cérebro de nossos filhos. O conceito de tirar a infância é muito real quando se trata da cultura indiana de educação.

Não há mal nenhum em familiarizá-los com o conceito de educação através de aulas particulares diárias em casa e de escolas lúdicas. Isso fará com que adquiram o hábito de estudar, mas você também deve lembrar que as crianças aprendem mais com o meio ambiente em sua fase de crescimento do que com os livros.

Portanto, pressioná-los pode prejudicar seu crescimento, em vez de ajudá-lo.

3. Não restrinja seu crescimento colocando-os em uma caixa

Em sucessão ao nosso ponto anterior, a restrição do crescimento pode ter um efeito negativo num cérebro jovem em desenvolvimento. Quando você coloca a criança em uma caixa de aprendizagem e decide tudo por ela, você essencialmente a restringe de desenvolver habilidades interpessoais.

Habilidades como tomar decisões por si mesmo, ser autoconsciente e curioso para saber respostas para coisas novas. Tenha uma diretriz para ensinar seu filho, mas não as siga até o fim. Às vezes, se seu filho sente prazer em aprender através de legos, deixe-o, em vez de forçá-lo, a escrever.

4. Não os impeça de fazer perguntas

As crianças têm muitas perguntas e isso às vezes pode ser frustrante. Porém, se você não deseja que seu filho desanime de fazer perguntas, é melhor respondê-las de forma eficiente.

Devido à menor densidade sináptica, é mais fácil para eles reter informações diversas, principalmente se essas informações vierem na forma de símbolos e cores, pois sua memória visual é mais forte.

Para evitar que eles façam perguntas o tempo todo, você pode passar uma ou duas horas diariamente com seu filho. Este é um cuidado parental especial e uma oportunidade de aprendizagem que toda criança deveria ter, mesmo que frequente creche. Através de conversas, é possível extrair dúvidas curiosas da criança. Dessa forma, você será capaz de responder conscientemente à curiosidade de seu filho, em vez de ser precipitado.

Este também é um bom espaço para seu filho aprender a maneira correta de se comunicar e fazer perguntas.

5. Incentive sua criatividade

“A criatividade é a mãe da invenção.”

Esta citação também é verdadeira em termos do cérebro de uma criança em desenvolvimento. Quando você deixa seus filhos sozinhos, em vez de controlar cada momento deles, ficará surpreso ao ver o que seus minúsculos cérebros podem inventar.

Não restrinja o tempo de brincadeira porque este é o espaço para serem mais criativos. Para reforçar eficazmente a expressão criativa das crianças, os primeiros educadores incorporam frequentemente ferramentas de aprendizagem interativas e envolventes, como o ABCmouse programa de leitura para crianças. Matricule-os em pré-escolas que se concentrem menos no conhecimento dos livros e mais nas competências cognitivas através da aprendizagem criativa.

6. Faça-os acreditar em si mesmos

Eles certamente precisam saber a maneira correta de fazer alguma coisa, mas nem sempre é possível esperar que um cérebro em desenvolvimento saiba tudo. Portanto, em vez de criar um ambiente negativo apontando constantemente seus erros, dê-lhes a chance de se corrigirem.

Este é o momento perfeito para seu filho aprender a resolver problemas e ser autossuficiente com o que deseja quando finalmente for para estudos superiores além de uma escola infantil.

A confiança vem com o tempo, mas é uma qualidade que começa em casa e sob a supervisão dos pais. Então, da próxima vez que você corrigir o erro do seu filho, por que não alertá-lo e esperar que ele perceba? Isso os ajudará a acreditar em si mesmos.

7. Você tem limite com elogios

No entanto, você não deve torná-los qualificados no esforço de torná-los confiantes. Um pouco de reconhecimento e elogios são sempre necessários para motivar sua mente em crescimento. No entanto, exagerar pode ter o efeito oposto.

Principalmente quando vão para a escola e enfrentam uma competição, e precisam se socializar cordialmente. Eles não serão capazes de enfrentar a vida escolar porque a única atenção não está em elevá-los, mas em todos na sala de aula.

O cérebro em crescimento de uma criança está se familiarizando com o conceito de emoções e solicitará a validação do professor. Porém, é dever dos pais e professores ter uma comunicação sólida. Só então a criança irá abordá-los quando algo não estiver bem na sua escola. Esta será uma boa janela para os pais entenderem se a criança está se sentindo no direito ou simplesmente negligenciada.