11 etapas do discurso

11 etapas do discurso

Fazer um discurso impactante requer uma abordagem sistemática que garanta clareza, envolvimento e influência. Comece selecionando um tópico que corresponda ao seu conhecimento, às expectativas do público e à ocasião.

A seguir, defina o propósito do seu discurso, seja para informar, persuadir ou entreter os ouvintes.

Priorize a compreensão dos dados demográficos, históricos e expectativas do seu público para adaptar seu conteúdo e entrega às preferências deles. Identifique as ideias principais que transmitirão sua mensagem e pesquise minuciosamente o tópico para obter precisão e profundidade factuais.

Organize seus dados de uma maneira atraente que capte a atenção do público e prepare recursos visuais relevantes para aumentar o impacto da sua apresentação. Ensaie seu discurso várias vezes para garantir uma apresentação perfeita que conecte emocionalmente seu público.

Por fim, durante o seu discurso, deixe transparecer o seu estilo pessoal e a sua qualidade vocal para transmitir a sua mensagem com confiança e convicção. Siga estas etapas para transformar seu discurso em uma ferramenta poderosa que inspira e motiva seu público.

Um discurso eficaz necessita de uma série de passos a seguir que o tornarão “atraente e bem-sucedido”. As etapas importantes são as seguintes:

Etapa 1: selecione ou escolha o tópico

Cada apresentação é centrada em um tópico específico. No discurso formal, você precisa escolher o tema da sua apresentação.

Você pode receber um tópico, geralmente dentro de sua área de especialização, ou pode ter a liberdade de escolher seu tópico.

Se você precisar selecionar o tópico, considere três fatores como diretrizes;

  1. seu conhecimento,
  2. seu público e
  3. a ocasião do discurso.

Escolha um assunto que realmente lhe interesse. Isto pode parecer uma regra evidente, mas muitas vezes é ignorada. Os palestrantes às vezes escolhem tópicos que acreditam que seu público irá gostar, apenas para aparecer na hora do discurso, sem o entusiasmo necessário para

Portanto, você deve selecionar um tópico no qual esteja genuinamente interessado, que seja apropriado para o seu público e sobre o qual você tenha autoridade.

Etapa 2: Determine o objetivo do discurso

Toda comunicação visa produzir um resultado. Seu discurso deve ter um propósito claro, que pode ser de três tipos: informar ou instruir, persuadir ou entreter. É essencial ser específico sobre o objetivo do seu discurso, pois isso fornecerá um ponto de vista e uma direção para o seu discurso. Costuma-se dizer “Um tópico não é um tópico até que tenha um ponto de vista”.

Etapa 3: avaliar/analisar o público

A mensagem de cada comunicação deve ser adaptada ao público. Portanto, é fundamental reunir informações sobre o público para preparar e apresentar seu discurso de forma eficaz.

Fatores como tamanho, formação educacional, homogeneidade ocupacional, idade, sexo, experiência, conhecimento do assunto, situação econômica do público, facilidades para fazer discursos, tempo alocado para o discurso, local do discurso e a percepção do público sobre o orador influenciará o planejamento e a apresentação do discurso.

Você pode obter informações sobre o público com a pessoa que lhe pediu para falar e com outros membros do grupo. Se todos os membros do público compartilharem a mesma ocupação, você poderá usar expressões e ilustrações mais técnicas.

Etapa 4: selecione as ideias principais para a mensagem

Identifique as ideias centrais ou o tema principal do seu discurso. Sua lista inicial de ideias centrais pode ser desorganizada ou aleatória.

Avalie cuidadosamente cada tema e selecione as ideias que sejam práticas e contribuam para um tema unificado. Alguns palestrantes começam anotando palavras isoladas ou frases incompletas em uma página, apenas para correr para o pódio e tentar organizá-las no local.

Evite essa abordagem. Não presuma que sua estrutura inicial será a versão final. Em vez disso, trabalhe para refinar suas ideias centrais e selecione a versão mais adequada para o seu discurso.

Etapa 5: pesquise o tópico

É evidente que você não possuirá todas as informações relacionadas ao seu tema central. Portanto, você precisa reunir fatos, dados e informações que formarão a base do seu discurso.

Em alguns casos, isso envolve explorar suas próprias experiências para apoiar exemplos ou desenvolvimento de ideias. Às vezes, pode ser necessário realizar pesquisas primárias em uma biblioteca ou nos arquivos da empresa.

Para determinados tópicos, pode ser necessária a consulta de colegas ou indivíduos de outras organizações. Resumindo, faça o que for necessário para reunir as informações que servirão de base para sua apresentação.

Etapa 6: organize os dados e escreva o rascunho

Agora, organize seu discurso usando um esboço inicial. Crie um rascunho e revise-o para produzir uma versão final para entrega. Organize-o na estrutura típica de introdução, corpo e conclusão ou resumo, seguindo uma ordem indireta.

Introdução

A introdução busca atenção, inclui um objetivo ou propósito e define a direção do discurso. As primeiras palavras geralmente faladas são a saudação. Sua saudação, é claro, deve ser adequada ao público. “Senhoras e Senhores” é apropriado para um público misto. “Gentlemen” se adapta a um público exclusivamente masculino. “Meu companheiro—” se adapta a um público de membros institucionais específicos. Alguns palestrantes eliminam a saudação e iniciam com o discurso, principalmente em apresentações mais informais e técnicas.

Três elementos estão envolvidos aqui – Porch, Aim e Layout (PAL):

Varanda são seus comentários iniciais. É a sua declaração para limpar a garganta, o seu preâmbulo, o seu prefácio, a sua saudação. Deve despertar o interesse e preparar o público para receber a mensagem. Você pode ganhar atenção começando com:

  • Uma história de interesse humano, pois contar histórias tem um forte apelo. Exemplo: Há quase 50 anos, um homem que começou a sua carreira como peão é agora dono de um império gigante. Isso é possível graças à sua forte vontade e ideia de inovação.
  • Humor, uma técnica amplamente utilizada. Funciona melhor e é mais seguro quando está intimamente relacionado ao assunto da sua apresentação. Exemplo: O que devo dizer, tudo já foi contado por outros palestrantes ou Meu carrinho está vazio porque todas as ideias que pretendia contar já foram contadas.
  • Uma declaração surpreendente – apresentando fatos e ideias que despertam a mente. Exemplo: No ano passado, aqui mesmo na nossa cidade, bandidos roubaram 120 táxis! E a maioria de vocês não fez nada a respeito.
  • Citações – citar alguém que o público conheceria e consideraria confiável. Exemplo: “O crédito é nosso direito”, disse o Dr. Muhammad Yunus.
  • Perguntas – um tipo de pergunta é uma pergunta retórica à qual todos respondem da mesma forma, como “Quem quer se livrar da violência policial?” Outro tipo de pergunta é uma questão de informações básicas. Isso lhe dará uma indicação de quanto você pode falar sobre diferentes aspectos do seu assunto. Exemplo: Quantos de vocês são rotarianos? Quase todo mundo levanta a mão. Então você poderia deixar de falar sobre as atividades do Rotary Club, mas sim sobre a contribuição dos empresários para a economia nacional como rotarianos.

Mirar

Objetivo é o propósito do seu discurso. Por que você está dando sua palestra? Exponha o assunto do seu discurso de forma clara e completa. Após a abertura que desperta o interesse, é apropriado expor o assunto do seu discurso. Você também pode seguir um caminho indireto. Você pode desenvolver seu caso antes de revelar seus objetivos. É desejável quando o seu objetivo é persuadir o público a aceitar uma nova visão.

Disposição

Layout é sua agenda. Conte ao público suas partes principais; dê-lhes uma compreensão precisa dos principais pontos que você abordará. É o roteiro para o que se segue.

Corpo

O corpo é o coração da sua palestra. Aqui você explica e apoia o objetivo principal da sua apresentação. Você organiza a maioria dos discursos por fatores, pois sua apresentação é construída em torno de questões e questões que são subtópicos do assunto.

Você deve enfatizar as transições entre as divisões porque o ouvinte pode perdê-las se não forem enfatizadas adequadamente. Falar tem restrições de tempo e, portanto, exige que você limite a conversa a dois ou três pontos principais.

Resumo ou Conclusão

Um resumo lembra ao público as ideias principais do discurso. O final inclui três elementos;

  1. uma reformulação do assunto,
  2. um resumo dos pontos-chave desenvolvidos na apresentação,
  3. uma declaração da conclusão. Deve ser um encerramento climático.

Apresente a mensagem final em linguagem forte – em palavras que chamem a atenção e sejam lembradas. Você pode fazer uma citação apropriada, usar o humor e pedir ação.

Etapa 7: Determine o método de apresentação

Com o discurso organizado em uma versão final, você decidirá sua forma de apresentação. Você pode apresentá-lo em qualquer um dos quatro métodos a seguir que melhor se adaptem à situação:

Apresentação Extemporânea

É o método de apresentação mais popular e eficaz. Envolve falar a partir de notas escritas. Com esse método, você primeiro prepara minuciosamente seu discurso, cria um esboço, prepara notas e apresenta o discurso a partir delas. Não memorize, mas ensaie para ter certeza de que todas as partes estão claramente em mente.

Memorizando

Este é o método mais difícil. Todo o discurso é memorizado e proferido minuciosamente. É melhor memorizar passagens-chave e usar notas para ajudá-lo durante o discurso.

Leitura

Isso envolve falar a partir de um roteiro literal ou de folhas de aula escritas. A maioria de nós tende a ler em voz alta, em um tom monótono e monótono.

Também sentimos falta de pontuação, nos atrapalhamos com as palavras, perdemos nosso lugar e assim por diante. Você pode superar esses problemas praticando o discurso. Seria sensato não ler discursos até que você tenha dominado esse método de apresentação.

Discurso improvisado

Um discurso improvisado é um discurso repentino, proferido quando você não sabia que seria chamado para falar.

Ao ser solicitado, você se levanta e faz comentários inteligentes sobre o assunto em questão, sem o benefício de anotações. Sua capacidade de fazer isso impressiona a todos e logo você perceberá que sua reputação e responsabilidades profissionais estão aumentando. Você pode se preparar para um discurso improvisado seguindo estas etapas:

  • Aprenda a antecipar quando você poderá ser chamado.
  • Mantenha-se atualizado sobre os desenvolvimentos recentes.
  • Tenha em mente um estoque pronto de anedotas, comentários espirituosos e fatos impressionantes.

Etapa 8: crie recursos visuais

Os recursos visuais podem ajudar a superar as limitações das palavras faladas. Um ouvinte que perde a mensagem vocal pode não ter a oportunidade de ouvi-la novamente. Recursos visuais como tabelas, gráficos, imagens, modelos, diagramas, mapas e similares oferecem a oportunidade de transmitir sua mensagem.

Os oradores utilizam recursos visuais para esclarecer informações para o público ou reforçar o impacto da informação (Well, 1985:557). Os recursos visuais ajudam a eliminar possíveis confusões de fala, simplificar informações complexas, melhorar a coesão e aumentar o interesse.

Você deve selecionar seus recursos visuais principalmente com base em sua capacidade de comunicar conteúdo.

A sua escolha também pode ser influenciada pelo tamanho e formalidade do público, pelo custo de preparação e utilização dos meios de comunicação e pela facilidade e tempo de preparação. Você deve avaliar os pontos fortes e fracos comparativos de cada tipo de recurso visual e saber como usar cada tipo de forma eficaz.

Por exemplo, a maior parte da informação estatística requer que um gráfico ou tabela seja totalmente claro, enquanto a informação espacial é melhor transmitida através de um diagrama ou mapa.

Diretrizes para recursos visuais eficazes

Os recursos visuais normalmente transmitem partes importantes da mensagem. Para usá-los de forma eficaz, considere as seguintes diretrizes:

  1. Certifique-se de que todos na plateia possam ver o visual claramente.
  2. Explique o visual se houver alguma probabilidade de mal-entendido.
  3. Integre os recursos visuais em seu plano de apresentação.
  4. Enfatize os recursos visuais apontando para eles física e verbalmente.
  5. Dirija-se ao público, não apenas ao visual. Olhe para o visual apenas quando o público deveria.
  6. Evite bloquear a visão do público sobre os recursos visuais. Certifique-se de que púlpitos, pilares, cadeiras ou outras obstruções não atrapalhem a visão do público. Esteja atento para não ficar na linha de visão de ninguém.
  7. Apresente os recursos visuais brevemente.
  8. Certifique-se de que os recursos visuais sejam grandes o suficiente para serem vistos em qualquer lugar da sala.
  9. Mantenha o visual simples limitando o número de barras, linhas e curvas.
  10. Arredonde os números para maior clareza.

Passo 9: Ensaie a palestra

O ensaio deixará você mais confortável com os materiais, e você ainda poderá revisar quando necessário. Levante-se e fale em voz alta durante o ensaio. Recomenda-se ensaio três vezes. Tenha o seguinte em mente durante o ensaio:

  • Sempre imagine o público à sua frente.
  • Considere cada um dos pontos principais, um de cada vez, e aprenda a apresentar cada um com seu material de apoio como uma unidade.
  • Inclua os recursos visuais que você usará na margem, e não onde cada recurso deve ser usado.
  • Antecipe perguntas do público. Anote-os no papel e considere respostas ponderadas.
  • Pare no tempo previsto. Em seguida, corte e revise o discurso de acordo até que consiga pronunciá-lo dentro do prazo, permitindo também um período de perguntas e respostas.

Etapa 10: considere os aspectos pessoais

Na fala, o orador faz parte da mensagem. Seu público absorve as palavras que você comunica e o que vê em você. O que eles veem em você pode afetar significativamente os significados que se desenvolvem em suas mentes.

Portanto, você deve avaliar cuidadosamente o seu efeito pessoal na mensagem que apresenta. Cuide dos seguintes aspectos do comportamento pessoal:

A. Características Pessoais

Quatro características pessoais farão de você um orador poderoso. Portanto, considere as discussões e sugestões abaixo para superar possíveis problemas.

Confiança

Sua confiança em si mesmo e a confiança do público em você são dois fatores vitais e complementares, essenciais para um bom orador.

Sua confiança em si mesmo tende a projetar uma imagem que inspira confiança em seu público. Da mesma forma, a confiança do público em você pode reforçar sua sensação de segurança, tornando-o mais confiante em suas habilidades.

Como ganhar a confiança do seu público:

  • Mantenha uma conexão de longo prazo com o público.
  • Prepare diligentemente e pratique minuciosamente sua apresentação, aumentando sua autoconfiança e levando a uma comunicação mais eficaz. Isso, por sua vez, inspirará confiança em seus ouvintes.
  • Preste muita atenção à sua aparência física. Certos estilos de vestimenta e aparência criam fortes impressões na mente das pessoas, que podem ser favoráveis ​​ou desfavoráveis. Portanto, analise o seu público e desenvolva uma aparência física que estimule a confiança.
  • Fale em tons fortes e claros. Tais tons contribuem significativamente para projetar uma imagem de confiança.

Sinceridade

Seus ouvintes podem discernir rapidamente a falta de sinceridade. Se detectarem isso em você, é provável que dêem pouco peso ao que você diz. Portanto, seja sincero porque a sinceridade é inestimável para a convicção.

A maneira de projetar uma imagem de sinceridade é clara e simples: você deve ser genuinamente sincero. Fingir ser sincero raramente dá certo (Lesikar e Flatley, 2005: 438).

Meticulosidade

Uma apresentação completa é melhor recebida do que uma apresentação superficial ou apressada. A cobertura abrangente cria a impressão de que foram investidos tempo e cuidado, tornando a apresentação mais verossímil. No entanto, lembre-se de que detalhes excessivos podem se transformar em ruído. Exerça julgamento sobre o que os ouvintes precisam saber e o que pode ser omitido.

Simpatia

Uma imagem de simpatia influencia positivamente um discurso. As pessoas gravitam naturalmente em torno de pessoas amigáveis ​​e geralmente são receptivas ao que dizem.

Portanto, projete uma imagem genuinamente amigável. Faça uma autoanálise e observe suas práticas de fala diante de um espelho para descobrir os segredos de projetar uma imagem amigável.

Interesse

Você deve ter um interesse genuíno no assunto que está abordando. O assunto da sua discussão deve ressoar com interesse e aptidão pessoal. Se um tópico não lhe interessa, é melhor evitá-lo.

Originalidade

Apresentar pensamentos originais pode cativar o público e aumentar a confiança deles em você. Compartilhe ideias que não foram expressas por outras pessoas. Oferecer uma nova perspectiva sobre um assunto pode convencer os ouvintes a confiar na sua voz.

Flexibilidade

As pessoas apreciam diversos pontos de vista e interpretações. Portanto, evite ficar rigidamente preso a uma única perspectiva. Explore várias abordagens e apresente-as com tons variados.

Entusiasmo

Seu discurso deve ser proferido com entusiasmo. Deixe sua paixão brilhar. Os ouvintes devem estar convencidos do seu profundo interesse no assunto. A confiança deles em você dependerá de uma apresentação animada e sincera.

B. Aparência Pessoal e Ações Físicas

O público não só te ouve, mas também te observa, o que é parte integrante da mensagem e pode influenciar muito o sucesso do seu discurso. Os seis fatores a seguir ajudam a formar as impressões dos ouvintes sobre você:

Aparência pessoal

Sua aparência pessoal é um aspecto crucial da mensagem. Portanto, você deve se vestir adequadamente para o público e para a ocasião, mantendo a limpeza e a boa aparência.

Andando

A maneira como você caminha diante do público também deixa uma impressão. Uma caminhada confiante e decidida até a posição do orador transmite confiança, enquanto passos hesitantes e desajeitados dão a impressão oposta. Caminhar excessivamente, entretanto, pode distrair e prejudicar a mensagem.

Portanto, caminhe apenas quando for razoavelmente necessário para obter o efeito desejado. Evite se afastar do microfone.

Expressão facial

As expressões faciais são movimentos físicos altamente visíveis e comunicativos. Uma expressão alegre, um sorriso, uma careta ou uma expressão perplexa podem transmitir mensagens claras. Você deve utilizar esses dispositivos de comunicação eficazes.

Os olhos, muitas vezes considerados o espelho da alma, comunicam sinceridade, boa vontade e flexibilidade à maioria dos observadores. O contato visual atencioso demonstra interesse genuíno em seu público.

Postura

Sua postura é uma das coisas mais óbvias que seu público observa. Afeta significativamente a comunicação. Mantenha uma postura ereta sem parecer rígido e fique confortável sem parecer letárgico. Mantenha uma postura equilibrada, alerta e comunicativa.

Distribua o seu peso corporal de forma consistente com a impressão que deseja transmitir. Comporte-se com naturalidade, pois uma postura artificial pode criar uma aparência de falta de sinceridade (Lesikar e Flatley, 2005: 440).

Gestos

Os gestos aumentam a eficácia da comunicação. Cortar o ar com a mão pode indicar divisões, enquanto um punho cerrado pode dar ênfase a um ponto forte.

A adequação dos gestos depende da personalidade, dos atributos físicos e do tamanho e natureza do público. Você pode usar menos gestos em um ambiente formal e mais em um ambiente informal.

C. Uso de voz

Uma boa voz é um requisito fundamental para uma fala eficaz. Sua voz não deve atrapalhar o foco do ouvinte na mensagem. Para conseguir isso, considere as seguintes diretrizes:

Use uma grande variedade de argumentos de venda

Evite falar em tons monótonos, pois os ouvintes geralmente acham isso desinteressante.

Varie a velocidade de fala

Apresente partes fáceis da sua mensagem em um ritmo relativamente rápido e mais lento para pontos complexos ou enfatizados. Essa abordagem torna seu discurso mais envolvente. Use as pausas de forma eficaz, enfatizando o assunto futuro.

Pausas utilizadas adequadamente são um meio eficaz de captar a atenção. As pausas podem se tornar irritantes quando preenchidas com distrações como “uh”, “você sabe” e “OK”.

Fale de maneiras variadas

Falar eficazmente envolve dar às palavras a devida ênfase, variando seu estilo de falar.

Consiga isso;

  1. variando o tom da sua voz,
  2. ajustando o ritmo de sua entrega e
  3. modulando o volume da sua voz.

Certifique-se de falar alto o suficiente para que todo o público ouça, mas evite volume excessivo. A variedade de voz acrescenta interesse, ênfase e contraste, tornando-a fundamental para melhorar a eficácia vocal.

Use uma voz agradável

Embora a maioria das vozes sejam razoavelmente agradáveis, algumas podem ser roucas, nasais ou desagradáveis. Se você tem uma voz desagradável, considere a terapia vocal para melhorá-la.

Como alternativa, você pode tornar uma voz desagradável mais aceitável variando o tom, a velocidade de transmissão e o volume, pois essas variações podem compensar problemas de qualidade de voz.

Etapa 11: faça ou apresente seu discurso

Wells (2000: 557) apresentou as seguintes diretrizes para tornar a apresentação do discurso eficaz. O momento chega. Seu discurso está prestes a começar. Você está (você espera) tão preparado quanto possível.

Mesmo que você seja um orador experiente, você fica pelo menos um pouco nervoso. (Quanto menos experiente, mais nervoso você provavelmente ficará.) Depois que o discurso começa, há relativamente poucas coisas em que você possa se concentrar. No entanto, há muitas coisas que você deve fazer para tornar o discurso tão eficaz quanto possível.

Portanto, você deve considerar cuidadosamente cada um dos seguintes pontos antes de cada discurso - e depois considerá-los novamente ao avaliar seu discurso depois de proferi-lo.

Aborde o momento do seu discurso com confiança e autoridade

Você está preparado e conhece o assunto. Certifique-se de que seu comportamento exala isso! Mostre-se confiante enquanto aguarda sua vez de falar e ao se aproximar da tribuna quando chegar o momento.

As pessoas estarão observando você minutos antes do seu discurso (e também durante ele). O que eles veem deve impressioná-los.

Prepare-se antes de começar

Esteja você falando atrás de uma tribuna ou de maneira mais informal na frente do público, certifique-se de estar confortavelmente em uma posição, com suas anotações e recursos visuais no lugar, antes de começar a falar.

Se você começar e depois tiver que endireitar um microfone, tomar um copo de água ou organizar suas anotações, seus comentários iniciais serão perdidos na distração que recomeça.

Comece sem olhar suas anotações

Memorize sua observação inicial. O público entenderá por que você deve olhar suas anotações durante o discurso, mas provavelmente duvidará de sua sinceridade ou de sua preparação se você precisar consultá-las para começar.

Estabeleça contato visual e mantenha-o durante todo o discurso

Esteja você falando a partir de anotações, de memória ou de um roteiro, passe o máximo possível do tempo de fala em contato visual direto com o público. Chame a atenção de um, depois de outro, e depois de outro membro do seu público.

Mova sua atenção de um lado para o outro, da frente para trás, do meio para os cantos extremos do seu público – não em um padrão definido, mas aleatoriamente. Faça seus comentários diretamente às pessoas, não apenas para um público em massa.

Evite hábitos de linguagem desleixados

Se você estiver falando extemporaneamente a partir de anotações ou de memória, evite aqueles “e-uh” e “você-sabe” que tantas vezes preenchem os espaços nas conversas que ouvimos.

Ouça gravações suas, observe seus hábitos desleixados (se os tiver) e comprometa-se a não emitir nenhum som que não faça parte do seu fluxo de linguagem bem considerado.

Evite postura descuidada

Você pode apoiar as mãos na tribuna se desejar (você tem que colocá-las em algum lugar), mas não dê ao público a impressão de que você está “se segurando para salvar sua vida”. Não se incline, relaxe, cruze as pernas ou de qualquer outra forma permita que sua “linguagem corporal” sugira uma abordagem desleixada ao assunto ou ao público.

Use gestos e expressões faciais de forma eficaz.

Usar as mãos livre e naturalmente ajudará na entrega de várias maneiras. Isso ajudará você a relaxar. Seu relaxamento óbvio ajudará a relaxar o público.

E você será capaz de enfatizar com mais eficácia suas palavras principais ao pronunciá-las. Naturalidade é a chave. Não balance os braços descontroladamente, mas também não os prenda ao lado do corpo, nem os cole na tribuna ou nos bolsos.

À medida que suas mãos gesticulam livremente, deixe suas expressões faciais refletirem seus sentimentos sobre o que você está dizendo. Uma personalidade viva é simplesmente mais agradável de ouvir do que um rosto rígido e impassível. E as mãos e o rosto são em grande parte o que transmitem vivacidade.

Evite hábitos que distraem com as mãos

Se suas mãos estiverem trabalhando complementando suas palavras, elas não terão tempo para aqueles hábitos de distração que frequentemente vemos nos alto-falantes – tirar repetidamente o cabelo dos olhos, brincar com um lápis, coçar os cotovelos, acariciar a barba e assim por diante. .

Esses gestos, sem relação com o conteúdo do discurso, inevitavelmente distraem os ouvintes desse conteúdo.

Vista-se com respeito pelo seu público

A necessidade de parecer impressionante é ainda maior quando você está diante de um público que aguarda seus comentários confiáveis ​​sobre o assunto.

Você também deveria parecer autoritário. E pareça que você respeita o público que, afinal, o convidou e está dedicando seu tempo para ouvi-lo.

Fala

Obviamente, seu discurso não comoverá o público se for murmurado para eles. Mas mais do que isso, você tem que perceber que quanto maior o público e quanto maior a sala, mais energia será necessária para que sua voz seja ouvida claramente no fundo.

Você também deve variar o tom e o volume de sua voz – não fale monótono. Mesmo enquanto seus olhos estão em contato com as pessoas à sua frente, sua voz deve alcançar a pessoa mais distante. E se você estiver falando em um microfone, certifique-se de que sua boca esteja exatamente na distância ideal para amplificar com mais clareza.

Mova-se, se for viável

Se você não estiver grudado no microfone ou nas anotações no púlpito, e se o seu discurso for informal, você pode até se afastar do ponto de partida e ficar por alguns momentos em vários pontos da frente da sala. (Alguns palestrantes até trabalham nos corredores.)

Desde que a sua mobilidade seja relaxada, essa liberdade de movimento também ajudará a relaxar o seu público.

Transmita entusiasmo

Mesmo que o seu assunto seja sério, você deseja transmitir uma sensação de prazer pela oportunidade de falar sobre ele – e prazer porque essas pessoas em particular estão ouvindo você. Faça com que seu assunto pareça especial para você; faça seu público parecer especial para você.

Se você estiver brincando, fique calmo.

Mesmo os palestrantes mais experientes se atrapalharão com uma palavra ou frase aqui ou ali. Mas quando eles se pegam fazendo alguma brincadeira, eles fazem pouco caso disso – muitas vezes até ignoram.

Eles não voltam atrás e enfatizam o erro ao reenunciá-lo (a menos que a clareza assim o exija), e não se atrapalham e aceleram o discurso como se fugissem da cena do erro. Eles permanecem calmos, sabendo que a frieza não é apenas o mais impressionante, mas também a melhor maneira de evitar outros erros.

Não comece a “fazer as malas” antes de terminar.

Mesmo sabendo que está chegando ao fim, não comece a reunir suas anotações até terminar e o público saber que você terminou. Se você fizer isso, seu público também começará, psicologicamente, a procurar as saídas – e sua conclusão bem desenvolvida irá fracassar.

Quando terminar, siga em frente com confiança.

Mesmo que sinta que o discurso não correu bem (e por vezes não sinta que as coisas poderiam ter corrido melhor?), deixe a tribuna com confiança – tal como se aproximou, orgulhando-se do que ofereceu ao seu público.

Se a sua saída reflete decepção ou frustração, você praticamente garante que o seu público também ficará desapontado. Eles seguirão o exemplo de você. Sua confiança aumentará, até certo ponto, a confiança deles de que ouviram um discurso que vale a pena ouvir.

Conclusão

Em suma, o processo de fazer um discurso eficaz é dividido em três fases. Existem preliminares que devem ser cuidadosamente atendidas. Você deve determinar (a menos que a situação determine isso para você) um assunto e propósito apropriados e então avaliar o público ao qual se dirigirá.

Após as preliminares, vem a preparação necessária – muita preparação. Você tem que decidir que forma de discurso deseja fazer (seja improvisado, a partir de notas, de memória ou de um roteiro completo) e “escrever” o discurso de acordo. Você também deve preparar a abertura e o encerramento de seu discurso para obter o efeito máximo e também seus recursos visuais.

Finalmente, após as preliminares e a preparação, vem a apresentação em si – e a série de coisas que você deve fazer (e evitar) ao entregar seu discurso ao público.