Opiniões e Contribuições de Shingo para TQM

Opiniões e Contribuições de Shingo para TQM

Shigeo Shingo fez contribuições significativas na área de qualidade. Engenheiro mecânico, trabalhou com diversas empresas japonesas e norte-americanas, como Toyota, Mitsubishi, Matsushita, Sony, etc. Ele acreditava que “os métodos estatísticos detectam erros tarde demais no processo de fabricação” e sugeriu que, em vez de detectar erros, era é melhor adotar medidas preventivas para eliminar fontes de erros.

Introdução ao Poka-Yoke: Prova de Erros do Processo

Sua abordagem é conhecida como “Poka-Yoke” (defeito=0). Poka-Yoke é um termo japonês que significa “à prova de erros”. A inspeção na fonte é empregada ativamente para identificar erros de processo antes que se tornem defeitos; quando ocorre uma identificação, o processo é interrompido até que a causa seja determinada e eliminada.

Implementando Poka-Yoke na Manufatura

Poka-Yoke defende que sejam feitas modificações adequadas no processo, nos componentes, nos equipamentos, etc., para evitar erros. As fontes de erros são monitoradas em todas as etapas do processo para que qualquer erro que possa levar a um defeito no produto possa ser detectado instantaneamente, e medidas corretivas possam ser tomadas na fonte, e não após o término do processo de produção.

Exemplo prático de Poka-Yoke

Um exemplo deixará claro o significado de Poka-Yoke. Em um computador, você não poderá executar um CD se não inseri-lo na unidade de CD-ROM na posição correta. Se o CD for colocado na unidade com a parte traseira (o lado onde os dados são gravados) voltado para cima, ele não funcionará.

A filosofia por trás do Poka-Yoke

Como medida preventiva, o Poka-Yoke interrompe o processo produtivo sempre que ocorre um defeito, define a causa e gera ações para prevenir a recorrência. Baseia-se num processo de monitorização contínua de potenciais fontes de erro. Shingo acreditava que os sistemas, e não os operadores humanos, eram geralmente responsáveis pelos erros.

O papel do Poka-Yoke no sucesso da produção japonesa

Dixon & Swiler relataram que os mecanismos Poka-Yoke, desenvolvidos cooperativamente por engenheiros e funcionários do chão de fábrica, são um dos frutos da mania japonesa por sistemas de sugestão e representam a pedra angular do sucesso japonês em melhorias contínuas na produção.