Estrutura de capital complexa: dominando EPS e títulos conversíveis

Estrutura de capital complexa

Considera-se que uma empresa tem uma estrutura de capital complexa se tiver títulos em circulação potencialmente diluidores, como títulos conversíveis, opções, warrants ou outros acordos de emissão de ações. Uma empresa com uma estrutura de capital complexa tem de fazer uma dupla apresentação de Lucro por ação se o efeito diluidor agregado de títulos conversíveis e outros títulos for superior a 3%.

Apresentação dupla de estrutura de capital complexa

Essa dupla apresentação deve ser efetuada com igual destaque na demonstração de resultados e mostrar:

  1. EPS primário.
  2. EPS totalmente diluído.

EPS primário

EPS primário é o número de lucros atribuíveis a cada ação ordinária em circulação mais equivalentes de ações ordinárias diluídas (CSE).

Cálculo do EPS primário: EPS primário = {Lucro líquido - Dividendo preferencial + Benefício fiscal} / {Ação A em circulação + Ação preferencial conversível e dividendo}

O cálculo baseia-se no pressuposto de que os títulos convertíveis equivalentes a ações ordinárias foram convertidos no início do período (ou no momento da existência, se posterior).

EPS totalmente diluído

O EPS totalmente dilutivo foi projetado para mostrar a diluição potencial máxima do EPS atual em uma base prospectiva. LPA totalmente diluído é o número de LPA atual que reflete a diluição máxima que teria resultado das conversões de todos os títulos conversíveis, sejam eles equivalentes a ações ordinárias ou não, desde que sejam diluidores.

Quando requisitado

Dados de lucro por ação totalmente diluídos são necessários para cada período apresentado e, se ações ordinárias,

  • Foi emitido durante o período de conversões, exercícios e assim por diante.
  • Foram emitidos contingentemente no encerramento de qualquer período apresentado, e se o EPS primário para tal período teria sido afetado se tais emissões reais tivessem ocorrido no início do período.

Cálculo de EPS totalmente diluído

O cálculo deve basear-se no pressuposto de que todas essas ações emitidas e emissíveis estavam em circulação desde o início do período (ou desde o momento em que surgiu a contingência, se após o início do período).

Os encargos de juros aplicáveis a títulos conversíveis e ajustes não discricionários que teriam sido feitos em itens com base no lucro líquido ou lucro antes de impostos, tais como despesas de participação nos lucros, certos royalties e crédito de investimento, ou dividendos preferenciais aplicáveis aos títulos conversíveis devem ser considerados em consideração na determinação do saldo do rendimento apropriado às ações ordinárias.