Nova Estratégia de Empreendimento

Nova Estratégia de Empreendimento

Uma nova estratégia de risco também é conhecida como “start-up interna”. Uma nova estratégia de risco envolve a diversificação para um novo negócio através da formação de uma nova unidade de negócios.

A unidade de negócios recém-criada opera seus negócios sob a égide corporativa. A criação de uma nova empresa exige diversas atividades por parte da gestão da empresa.

Estas incluem o investimento em novas instalações de produção, a prospecção de fornecedores, o estabelecimento de ligações com os intermediários no canal de distribuição, o desenvolvimento de uma base de clientes, selecionando e treinando funcionários para o novo negócio, e assim por diante.

Tudo para a empresa é feito de novo.

Uma empresa pode adotar uma estratégia interna de startup (ou de novo empreendimento interno) nas seguintes circunstâncias:

  1. Quando uma empresa possui um conjunto de recursos e capacidades (competências) existentes, as competências existentes podem ser recombinadas para entrar numa nova área de negócio. Podemos citar o exemplo da IBM – a gigante da informática no mundo. A IBM produziu apenas computadores mainframe e de médio porte até 1981. Ela recombinou suas competências em 1981 para entrar no negócio de PCs. Para ter sucesso no negócio de PCs, ela começou a utilizar seus principais recursos e capacidades em informática, design, vendas e serviços pós-venda.
  2. Quando uma empresa deseja criar oportunidades de mercado em áreas afins, opte por utilizar tecnologia própria (proprietária). As evidências nos países desenvolvidos indicam que novos empreendimentos são uma escolha para a maioria das empresas de base científica. Estrelas empresariais americanas como 3M, Intel e DuPont expandiram seus negócios com inovações geradas internamente.
  3. Quando um empresa entra em uma indústria emergente onde não existem concorrentes com as competências necessárias, prosseguir uma nova estratégia de risco é a única opção para uma empresa que pretende entrar numa nova indústria em crescimento.
  4. Quando uma empresa dispõe de tempo suficiente para desenvolver um negócio do zero, algumas empresas preferem novos empreendimentos internos quando o tempo não é urgente para a construção de um novo negócio.
  5. Quando os custos internos de novos empreendimentos são muito menores que o custo de aquisição.
  6. Quando uma empresa possui todos ou a maior parte dos competências necessárias para competir eficazmente no mercado
  7. Quando uma empresa não precisa competir com concorrentes poderosos no mercado devido à existência de inúmeras pequenas empresas.