6 Elementos da Estrutura Organizacional

6 Elementos da Estrutura Organizacional

Os seis elementos da estrutura organizacional são os 6 blocos de construção que os gerentes devem usar no desenvolvimento e estruturação da hierarquia organizacional. Os elementos da estrutura organizacional são; (1) projetar trabalhos, (2) departamentalizar, (3) estabelecer relações de subordinação, (3) distribuir autoridade, (5) coordenar atividades e (6) diferenciar entre cargos.

A estrutura organizacional evidencia a comunicação corporativa, a hierarquia executiva e gerencial e traça um plano de crescimento eficiente no futuro.

Para os gestores, organizar é decidir qual a melhor forma de agrupar os elementos organizacionais para uma variedade de possibilidades estruturais.

Os gestores devem compreender a melhor combinação para a estrutura da organização.

Existem seis blocos de construção básicos que os gerentes podem usar na construção de uma organização, também conhecidos como elementos de organização ou estrutura organizacional.

Os elementos da estrutura organizacional são;

  1. Projetando trabalhos,
  2. Departamentalização ou Agrupamento de Trabalhos,
  3. Estabelecer relações de subordinação entre empregos,
  4. Distribuindo autoridade entre empregos,
  5. Coordenar atividades entre empregos, e
  6. Diferenciação entre posições.

Compreender a natureza desses blocos de construção e as diferentes maneiras pelas quais eles podem ser configurados é muito importante, pois eles moldam a estrutura e a rotina em que a organização irá funcionar.

O ponto de partida lógico é o primeiro alicerce: projetar trabalhos. Neste post conheceremos os 6 elementos de organização;

6 elementos da estrutura organizacional

Projetando trabalhos

O design do trabalho é o primeiro alicerce da estrutura organizacional; significa definir as responsabilidades de um indivíduo no trabalho. O design do trabalho envolve a definição de áreas de responsabilidade na tomada de decisões, identificando metas e expectativas e estabelecendo indicadores apropriados de sucesso.

As ferramentas de design de trabalhos são;

  • Especialização

A especialização profissional é a primeira e a mais importante ferramenta de todas.

A especialização profissional é semelhante ao conceito de “divisão do trabalho”. Especialização profissional significa; dividir todo o trabalho ou tarefa em partes menores e dividi-las de acordo.

  • Modelo de características do trabalho (JCM)

O modelo de características do trabalho (JCM) também é uma ferramenta eficaz para projetar um trabalho; onde o design do trabalho é conduzido considerando a preferência dos funcionários e o sistema de trabalho exigido.

A abordagem sugere que a concepção do trabalho deve ser feita considerando 5 dimensões principais; variedade de habilidades, identidade da tarefa, significado da tarefa, autonomia e feedback.

  • Equipes de trabalho

As equipes de trabalho são muito úteis para realizar trabalhos abrangentes e difíceis que exigem experiência de vários departamentos, professores ou da organização.

  • Rotação de cargos

Como o nome sugere; A rotação de cargos consiste em mover sistematicamente os funcionários de uma tarefa para outra.

No entanto, na prática; a rotação de cargos criou mais problemas do que resolvê-los; a satisfação e a motivação dos funcionários diminuem. Agora é usado como treinamento sistema.

  • Ampliação de trabalho

A ampliação do trabalho envolve aumentar o número total de tarefas atribuídas e executadas pelos trabalhadores. Também motiva os funcionários, pois lhes dá uma chance maior de participar das operações da organização.

Também tem algumas deficiências; mais tarefas significam mais pagamentos de salários, portanto, mais custos; exagerar pode levar à insatisfação dos funcionários.

  • Enriquecimento do trabalho

É semelhante à ampliação do emprego, mas com uma abordagem mais abrangente. O enriquecimento do trabalho inclui aumentar o número de tarefas e a parcela de controle sobre essas tarefas.

Aqui os gerentes devem atribuir autoridade junto com a responsabilidade dos cargos.

Departamentalização ou Agrupamento de Trabalhos

A departamentalização é um agrupamento de funções de acordo com algum arranjo lógico, o segundo alicerce da estrutura organizacional.

A departamentalização refere-se à estrutura formal da organização, composto por diversos departamentos e cargos gerenciais e suas relações entre si.

À medida que uma organização cresce, os seus departamentos crescem e mais subunidades são criadas, o que por sua vez acrescenta mais níveis de gestão.

Isso muitas vezes cria menos flexibilidade, adaptabilidade e unidades de ação dentro da empresa.

A departamentalização é o agrupamento eficiente e eficaz de cargos em unidades de trabalho significativas para coordenar numerosos cargos – tudo para o cumprimento rápido dos objetivos da organização.

Existem várias bases para departamentalização. As bases comuns são;

  1. Departamentalização Funcional

    Departamentalização funcional agrupa os trabalhos que envolvem atividades iguais ou semelhantes.

    Aqui; a palavra 'função' indicando funções organizacionais, como finanças e produção, em vez das funções gerenciais básicas, como planejamento ou controlandodepartamentos de manufatura, finanças e marketing, cada um com uma função organizacional.

  2. Departamentalização de Produto

    A departamentalização de produtos envolve agrupar e organizar atividades em torno de produtos ou grupos de produtos. Este método coloca todos os recursos e autoridade sob um único gerente para fabricar e comercializar um produto.

  3. Departamentalização do Cliente

    A departamentalização do cliente é usada quando a grande ênfase é colocada no atendimento eficaz aos diferentes tipos de clientes..

    Por exemplo, estudantes diurnos em tempo integral e estudantes noturnos em tempo parcial de programas de pós-graduação em administração em universidades geralmente têm perfis demográficos e necessidades pessoais diferentes.

    O atacado e o varejo são muito diferentes em muitos setores, como nossos clientes governamentais e do setor privado. Então; aqui a organização estrutura suas atividades para responder e interagir com grupos específicos de clientes.

    A maioria dos bancos é normalmente concebida para satisfazer as necessidades de diferentes tipos de clientes; empréstimos comerciais, ao consumidor, hipotecários e agrícolas.

  4. Departamentalização por Processo

    Departamentalização pelo processo é preferível quando as máquinas ou equipamentos utilizados requerem habilidade especial para operação, ou são de grande capacidade que elimina divisões organizacionais, ou possuem instalações técnicas que sugerem fortemente uma localização concentrada.

  5. Departamentalização por Força-Tarefa

    Este arranjo envolve designar uma equipe ou força-tarefa para um projeto ou bloco de trabalho definido, que se estende desde o início até a conclusão de um tipo e quantidade de trabalho desejado e definido.

  6. Departamentalização de Localização ou Território

    Departamentalização de localização agrupa logicamente trabalhos com base em locais ou áreas geográficas definidas. Os locais ou áreas definidas podem variar em tamanho, desde um hemisfério até apenas alguns quarteirões de uma grande cidade.

  7. Departamentalização Matricial

    Gestão matricial ou departamentalização matricial foi introduzido no início da década de 1960 em resposta à crescente complexidade e tamanho das empresas de orientação técnica, que precisavam de mais flexibilidade.

    A departamentalização matricial tenta combinar designs de departamentalização funcional e de força-tarefa (projeto) para melhorar a sincronização de múltiplos componentes para uma única atividade (ou seja, um lançamento na lua), para melhorar as economias de escala e para melhor servir o cliente e a empresa.

Estas são as bases comuns da departamentalização.

Estabelecendo relações de relatórios entre cargos

O estabelecimento de relações de subordinação entre os cargos é o terceiro elemento básico da organização.

O estabelecimento de relações de subordinação indica; clarificando a cadeia de comando e o âmbito da gestão.

A cadeia de comando mostra uma linha de autoria clara e distinta entre os cargos e a extensão da gestão indica o número de pessoas que se reportam a um determinado gestor.

Aqui; são definidas a hierarquia da organização, seus cargos e suas linhas.

Autoridade de Distribuição

A Autoridade de Distribuição é outro alicerce importante na estruturação de organizações. Autoridade na organização é o direito de um cargo e, através dele, o direito da pessoa que ocupa o cargo de exercer discrição na tomada de decisões que afetam outras pessoas.

Autoridade é o poder que foi legitimado pela organização. Aqui; a determinação de como a autoridade deve ser distribuída entre os cargos.

Distribuindo autoridade na organização significa; dando poder de decisão aos funcionários.

Um gerente de armazém deve ter autoridade para verificar a qualidade do material que chega e armazenado, para registrar os eventos no armazenamento, para verificar e relatar a quantidade de material e muito mais.

Mas ele não pode decidir o preço de venda deles. É por isso que a distribuição adequada de autoridade em toda a organização é necessária para o bom andamento da organização.

Duas questões específicas que os gestores devem abordar ao distribuir autoridade; delegação e descentralização.

Atividades de coordenação

A coordenação é essencial para a gestão e estruturação das organizações. Alcançar a harmonia do esforço individual para a realização dos objetivos do grupo é o propósito da coordenação.

As organizações modernas dependem da especialização de funções e atividades delegadas a diferentes indivíduos.

Se for permitido que cada indivíduo desempenhe sua função de forma eficiente, sem tomar nota da função conectada desempenhada por outro indivíduo, isso criará o caos na organização.

É essencial que haja uma coordenação completa, para que se consiga a unidade de acção por parte de todos. Além disso, o conflito entre os executivos de linha e o pessoal coloca o problema de coordenação por parte do chefe do executivo.

Assim, o chefe do executivo deve coordenar não apenas funções e atividades, mas também indivíduos que desempenham diferentes funções.

Diferenciando entre posições

A diferenciação entre cargos de linha e de pessoal na organização é o último alicerce da estrutura organizacional. Uma posição de linha está na cadeia de comando direta e também é responsável pela consecução do objetivo de uma organização.

Pelo contrário; um cargo de equipe existe apenas para fornecer aconselhamento especializado e suporte para cargos de linha. No entanto; nas organizações modernas, estas diferenças são muito menores; em alguns casos, a diferença é eliminada.

A estrutura organizacional é o padrão formal de interações e coordenação projetado pela administração para vincular as tarefas de indivíduos e grupos na consecução dos objetivos organizacionais.

Para estabelecer uma estrutura é preciso misturar todos os seis elementos da organização,