Mais de 43 dicas para uma escuta ativa eficaz

Mais de 43 dicas para uma escuta ativa eficaz

é um ato intencional, portanto, melhorar sua capacidade auditiva é em grande parte uma questão de condicionamento mental; você deve querer melhorar. Joseph N. Capella (1987:216-17), um psicólogo americano, identificou as seguintes habilidades verbais e não-verbais para uma escuta eficaz.

Dicas para uma escuta ativa eficaz

Convide comentários adicionais

Sugira que o locutor acrescente mais detalhes ou forneça informações adicionais. Frases como “continue”, “o que mais?” "Como você se sentiu sobre isso?" e “Ocorreu mais alguma coisa?” incentive o palestrante a continuar compartilhando ideias e informações.

Pergunte

Informe-se sobre pontos de interesse. Perguntas como “Por que isso aconteceu?” ou “Quais são suas consequências?” pode levar a mais esclarecimentos.

Identifique áreas de acordo ou experiência comum

Relate brevemente experiências passadas semelhantes ou explique um ponto de vista semelhante que você defende. Compartilhar ideias, atitudes, valores e crenças constitui a base da comunicação. Além disso, esses comentários demonstram sua compreensão.

Varie as respostas verbais

Use uma variedade de respostas como “Sim”, “Entendo”, “Continue” e “Certo”, em vez de confiar em uma resposta padrão e imutável como “Sim”, “Sim”, “Sim”.

Forneça respostas verbais claras

Use palavras e frases específicas e concretas em seu feedback ao palestrante. Podem ocorrer mal-entendidos se você não fornecer respostas de fácil compreensão.

Use respostas descritivas e não avaliativas

É melhor dizer: “Seu carro tem um farol quebrado, uma lanterna traseira queimada e um para-lama amassado” (descritivo) do que dizer: “Esse seu carro com certeza é uma pilha de lixo” (avaliativo). Da mesma forma, comentários depreciativos são vistos como ofensivos.

Forneça declarações afirmativas e afirmativas

Comentários como “Sim”, “Entendo”, “Eu entendo” e “Eu sei” fornecem afirmação. Oferecer elogios e declarações positivas específicas demonstra preocupação.

Evite o silêncio total

A ausência de qualquer resposta sugere que você não está ouvindo o orador. O “tratamento silencioso” induzido pela sonolência ou falta de preocupação pode resultar em atitude defensiva ou raiva por parte de quem fala. O feedback verbal apropriado demonstra sua escuta ativa.

Permita à outra pessoa a oportunidade de uma audiência completa

Permita que a outra pessoa se aprofunde e se aprofunde nos detalhes; permitir à outra pessoa a opção de mudar o tema em discussão; permita que a outra pessoa fale sem interrupção.

Reafirme o conteúdo da mensagem do palestrante

Use a repetição de palavras-chave, frases e ideias para demonstrar sua compreensão da conversa. Essas reformulações devem ser breves.

Parafraseie o conteúdo da mensagem do palestrante

Reafirme a mensagem do orador com suas próprias palavras para confirmar sua compreensão do conteúdo da mensagem.

Parafraseie a intenção da mensagem do orador

Demonstre sua compreensão da intenção do interlocutor tentando declará-la de forma concisa com suas próprias palavras.

Demonstrar capacidade de resposta corporal

Use movimentos e gestos para mostrar que você está ciente da mensagem do locutor.

Balançar a cabeça em descrença, verificar as medidas de um objeto indicando o tamanho com as mãos e mover-se em direção a uma pessoa que está divulgando informações negativas demonstram capacidade de resposta corporal adequada.

Incline-se para frente

Ao inclinar-se para quem fala, um bom ouvinte demonstra interesse por quem fala. Uma inclinação para a frente sugere capacidade de resposta e também escuta do que fala.

Use orientação corporal direta

Não se afaste do alto-falante; em vez disso, sente-se ou fique de pé de frente para ele. Uma posição corporal paralela permite a maior possibilidade de observar e ouvir as mensagens verbais e não-verbais do falante.

Use uma postura relaxada, mas alerta

Sua postura não deve ser tensa ou “adequada”, mas também não deve ser tão relaxada que você pareça estar descansando.

Curvar-se sugere falta de resposta; uma posição corporal tensa sugere nervosismo ou desconforto; e uma posição relaxada acompanhada de braços e pernas cruzados, uma inclinação para trás em uma cadeira e uma expressão facial confiante sugerem arrogância. Assim, sua postura sugere seu interesse para quem fala.

Estabeleça uma posição corporal aberta

Sente-se ou fique em pé com o corpo aberto para a outra pessoa. Cruzar os braços ou as pernas pode ser mais confortável para você por causa do hábito, mas frequentemente sugere que você está fechado tanto psicologicamente quanto fisicamente.

Para maximizar sua mensagem não-verbal para a outra pessoa de que você está aberto a ela, você vai querer sentar-se ou ficar de pé sem cruzar os braços ou as pernas.

Use expressão facial positiva e responsiva e movimento da cabeça

Seu rosto e sua cabeça serão o foco principal do palestrante. O orador estará observando você, e sua expressão facial e movimento da cabeça serão fundamentais.

Demonstre sua preocupação balançando a cabeça para mostrar interesse ou concordância. Use expressões faciais positivas e responsivas, como sorrir e levantar as sobrancelhas.

Estabeleça contato visual direto

O locutor observará seus olhos em busca de interesse. Um dos primeiros sinais de falta de interesse é a tendência do ouvinte de se distrair com outros estímulos do ambiente. Tente focar e direcionar seu olhar para quem fala.

Sente-se ou fique perto do alto-falante

Estabelecer proximidade com o orador tem dois benefícios.

Primeiro, você se coloca em uma posição que lhe permite ouvir a outra pessoa e minimiza ruídos, imagens e outros estímulos que distraem.

Em segundo lugar, você demonstra sua preocupação ou sentimentos positivos pelo orador. A proximidade física permite que ocorra uma escuta ativa.

Use capacidade de resposta vocal

Altere o tom, a taxa, a inflexão e o volume conforme responde ao alto-falante. Fazer mudanças e escolhas apropriadas mostra que você está realmente ouvindo, em contraste com responder de uma maneira padronizada e padronizada que sugere que você está apenas parecendo ouvir.

Forneça declarações de apoio

Às vezes, você pode demonstrar mais preocupação por meio de sons não-verbais como “Mmm”, “Mmm-hmm” e “uh huh” do que afirmando: “Sim, entendo”.

Você pode facilmente fornecer declarações de apoio enquanto outras pessoas estão falando ou quando fazem uma pausa. Você está sugerindo a eles que está ouvindo. Esses sons incentivam o locutor a continuar sem interrupção.

Pare de falar

Você não pode ouvir se estiver falando. A maioria de nós prefere falar a ouvir. Mesmo quando não estamos conversando, tendemos a nos concentrar no que dizer a seguir, em vez de ouvir o que está sendo dito. Então, você deve parar de falar antes de poder ouvir.

Assim, Polônio no Hamlet de Shakespeare disse: “Dê a cada homem o seu ouvido, mas a poucos a sua voz”. Apenas permaneça em silêncio. Não fale porque todas as outras orientações dependem disso. Então, pare de falar.

As pessoas dizem que Deus deu dois ouvidos e uma língua, o que é uma dica gentil de que você deveria ouvir mais do que falar. Além disso, ouvir requer dois ouvidos, um para o significado e outro para o sentimento.

Deixe o locutor à vontade

Ajude a pessoa a se sentir à vontade para conversar. Isso geralmente é chamado de ambiente permissivo. Se você fizer com que o interlocutor se sinta à vontade, ele falará melhor. Você obterá melhores informações com as quais poderá tomar melhores decisões.

Ouvir é um ato voluntário, portanto, melhorar sua capacidade auditiva é em grande parte uma questão de condicionamento mental; você deve querer melhorar.

Especialistas como Nisbet (1988), Pearson e Nelson (1997:64-68), e os “10 Mandamentos da Escuta”, etc., prescreveram algumas diretrizes para uma escuta eficaz. Eles são mencionados com uma breve elaboração:

Mostre ao locutor que você deseja ouvir

Olhe e aja com interesse. Não leia sua correspondência, não atenda o telefone, etc., enquanto alguém fala. Isso distrairá quem fala. Ouça para compreender em vez de se opor.

Remova distrações

Não rabisque, não bata com lápis ou caneta, nem embaralhe papéis. Feche a porta se isso garantir tranquilidade.

Tenha empatia com os palestrantes

Tente entender a visão do locutor do ponto de vista dele. Portanto, coloque-se na posição do locutor e observe a visão dele. Isso criará um clima de compreensão.

Ser paciente

Reserve bastante tempo para o locutor. Não os interrompa. Isso criará barreiras à troca de informações.

Mantenha seu temperamento

A raiva cria ruído na forma de comunicação. Uma pessoa irritada pode interpretar o significado errado das palavras. Pessoas irritadas constroem muros entre si. Eles endurecem suas posições e bloqueiam suas mentes às palavras dos outros.

Vá devagar com argumentos e críticas

Argumentos e críticas tendem a colocar quem fala na defensiva. Eles podem “calar-se” ou ficar com raiva. Então, não discuta. Mesmo se você vencer a discussão, você perde. Raramente qualquer uma das partes se beneficia de tal controvérsia.

Pergunte

Fazer perguntas encorajará quem fala e mostrará que você está ouvindo. Ajuda a desenvolver ainda mais os pontos. Portanto, você deve mostrar uma mente aberta. Você pode ajudar a desenvolver a mensagem e garantir a exatidão do significado.

Reserve um tempo

Se você não tem tempo para ouvir, é melhor afirmar isso em vez de ouvir pela metade ou apressar o orador.

Esteja preparado para aprender

Não ouça com ideias definidas ou sem vontade de mudar. Esteja aberto a outras opções.

Não finja

Não faça movimentos de pseudo-escuta. Prepare-se para ouvir na íntegra e com cuidado e atenção.

Resista às distrações e faça um esforço para ouvir

Ouvir requer atenção ao que o orador deseja transmitir. Portanto, os ouvintes devem tentar resistir às distrações por todos os meios possíveis e esforçar-se adequadamente para ouvir.

Mantenha contato visual com quem fala

Manter contato visual com o orador ajudará a concentrar a atenção no que ele ou ela está dizendo. Isso também ajudará a resistir às distrações.

Encontre áreas de interesse

Os ouvintes não devem seguir e lembrar todos os aspectos da mensagem do orador. É melhor concentrar-se nas áreas de interesse e avaliá-las adequadamente.

Julgue o conteúdo, não a entrega

Normalmente, o conteúdo é mais importante que a entrega. Se o conteúdo for aceitável e válido, o estilo de entrega não importa.

Ouça ideias

Cada palestrante deve ter uma ideia ou ideias para apresentar ao público. Os ouvintes devem escolher os mais importantes entre eles.

Seja flexível e mantenha sua mente aberta

A rigidez por parte dos ouvintes tornaria a comunicação malsucedida. A escuta eficaz, portanto, exige que os ouvintes permaneçam flexíveis e mantenham as suas mentes abertas.

Controle suas emoções

A comunicação torna-se ineficaz se o falante ou o receptor não conseguem controlar as emoções.

Reaja responsavelmente com acenos de cabeça ou sinais falados

Acenos de cabeça ou sinais falados como “continue” ou “sim” confirmarão a atenção contínua do público.

Preste atenção à linguagem corporal e expressão facial

A linguagem corporal e as expressões faciais devem ser seguidas para se ter uma ideia clara sobre os sentimentos, atitudes, opiniões, etc., do orador. As palavras por si só podem ter significados diferentes quando acompanhadas de linguagem corporal e expressões faciais.

Seja receptivo a informações e sentimentos

Ao ouvir o que o orador está dizendo, os ouvintes devem receber não apenas os fatos (informações), mas também os sentimentos do orador. Por exemplo, se o empregador está a falar sobre a crise financeira da empresa, os empregados, como ouvintes, também devem compreender os sentimentos do empregador.