Controladoria: Guia Essencial para Controladoria na Gestão

Controladoria: Guia Essencial para Controladoria na Gestão

Controlar é o processo de garantir que as atividades reais estejam em conformidade com atividades planejadas.

Planejamento e controle estão intimamente relacionados.

O controle é mais difundido do que o planejamento.

O controle ajuda os gerentes a monitorar a eficácia de suas atividades de planejamento, organização e liderança.

O controle determina o que está sendo realizado – ou seja, avaliar o desempenho e, se necessário, tomar medidas corretivas para que o desempenho ocorra de acordo com o planejado.

O controle também pode ser visto como a detecção e correção de variações significativas nos resultados obtidos nas atividades planejadas.

Importância da Controladoria na Gestão

Planejar sem controlar é inútil.

Sem dúvida, controlar também ajuda gerentes monitoram mudanças ambientais e os efeitos dessas mudanças no progresso das organizações.

Lidando com mudanças

Toda organização moderna tem que lidar com as mudanças no ambiente.

Surgem novos produtos e tecnologias, as regulamentações governamentais são frequentemente alteradas ou promulgadas e os concorrentes mudam as suas estratégias.

A função de controle ajuda os gestores a responder a essas mudanças ambientais como e quando necessário.

Criando melhor qualidade

As indústrias modernas seguem a gestão da qualidade total (TQM), que levou a melhorias drásticas no controle. Nele, falhas de processo são detectadas e o processo é eliminado de erros.

Os funcionários têm autonomia para inspecionar e melhorar o seu trabalho, o que também ajuda a mudar as suas atitudes e abordagens para alcançar um controlo eficaz.

Existem inúmeros exemplos em que o programa TQM ajudou a restaurar a qualidade, diminuir os custos e aumentar a produção de organizações gigantes que enfrentaram ameaças de paralisações devido à baixa qualidade, aos custos elevados e ao declínio da produtividade.

Criando ciclos mais rápidos

O controle ajuda a acelerar os ciclos envolvidos na criação e na entrega de novos produtos e serviços aos clientes.

A rapidez é essencial no cumprimento dos pedidos dos clientes.

Mas os gestores de marketing modernos devem lembrar-se de que os clientes de hoje esperam não só rapidez, mas também produtos e serviços personalizados.

É claro que as empresas mais bem-sucedidas tentam personalizar as coisas e adaptá-las às necessidades individuais. Os mais bem-sucedidos visam nichos estreitos de clientes com modelos específicos.

Adicionando valor

Uma organização que se esforça para sobreviver através da concorrência deve ser capaz de “agregar valor” aos produtos ou serviços para que os clientes os prefiram aos oferecidos pelos rivais da organização.

Muitas vezes, este valor acrescentado assume a forma de qualidade acima da média, conseguida através de procedimentos de controlo rigorosos.

Facilitando a delegação e o trabalho em equipe

A gestão participativa moderna mudou a natureza do processo de controlo. No sistema tradicional, o gestor especificaria tanto os padrões de desempenho como os métodos para alcançá-los.

Num novo sistema participativo, os gestores comunicam os padrões, mas depois permitem que os funcionários, quer como indivíduos ou como equipas, usem a sua criatividade para decidir como resolver determinados problemas de trabalho.

O processo de controle permite, então, ao gestor monitorar o progresso dos funcionários sem prejudicar a criatividade ou o envolvimento dos funcionários com o trabalho.

Controle como sistema de feedback

A maioria dos gestores exerce controle por meio de feedback de informações, que mostra desvios dos padrões e inicia mudanças.

Em outras palavras, as informações de feedback ajudam a comparar o desempenho com um padrão e a iniciar ações corretivas.

No controle, os gestores medem o desempenho real, comparam essa medição com os padrões e identificam e analisam os desvios.

Mas então, para fazer as correções necessárias, devem desenvolver um programa de ação corretiva e implementar esse programa para chegar ao desempenho desejado.

Técnicas de Controle

Os gerentes usam um grande número de ferramentas e técnicas para um controle eficaz.

Portanto,

Precisamos discutir técnicas específicas para gerenciar o processo de controle.

Primeiro, discutiremos controlo orçamental. E então trataremos de outras técnicas e métodos de controle.

Controlo orçamental

Orçamentar é a formulação de planos para um determinado período futuro em termos numéricos.

As organizações podem estabelecer orçamentos para unidades, departamentos, divisões ou para toda a organização. O período habitual de um orçamento é de um ano e é geralmente expresso em termos financeiros.

Os orçamentos são a base da maioria dos sistemas de controle.

Eles fornecem critérios para medir o desempenho e facilitam comparações entre divisões, entre níveis da organização e de um período para outro.

Tipos de orçamentos: A maioria das organizações utiliza alguns tipos diferentes de orçamentos:

  1. Por lo tanto, múltiples autoridades, creadas a partir del uso de especialistas, pueden tener consecuencias desastrosas.
  2. operando, e
  3. não monetário.

Dispositivos de controle não orçamentários

A seguir estão alguns dispositivos de controle que não estão relacionados ao orçamento.

Auditoria operacional/auditoria interna

É a avaliação regular e independente das operações contábeis, financeiras e outras de uma empresa por uma equipe de auditores internos.

Na sua forma mais habitual, a auditoria operacional inclui a auditoria de contas, a avaliação das operações em geral e a ponderação dos resultados reais face aos resultados planeados.

Os auditores operacionais asseguram, assim, que as contas reflectem os factos, avaliam os procedimentos, as políticas, a qualidade da gestão, a eficácia dos métodos e outras fases das operações.

Orçamento de marcos

Utilizado por um número crescente de empresas nos últimos anos no controle de engenharia e desenvolvimento, o orçamento por marcos divide um projeto em partes controláveis e depois as segue cuidadosamente.

Nesta abordagem de controle, “marcos” são definidos como segmentos identificáveis. Quando um determinado segmento é realizado, seu custo ou outros resultados podem ser determinados.