Metodologia de pesquisa jurídica: tipos e abordagens de pesquisa jurídica

Metodologia de pesquisa jurídica: tipos e abordagens de pesquisa jurídica

As metodologias de pesquisa jurídica exploram questões jurídicas não resolvidas, adquirem e analisam informações relevantes e aplicam as descobertas para resolver problemas jurídicos.

Vamos entender a definição de metodologias de pesquisa jurídica e os tipos e abordagens das metodologias de pesquisa jurídica.

As metodologias de pesquisa jurídica cumprem três funções principais: explorar um problema jurídico, descrever criticamente fatos e legislação e explicar ou interpretar questões e conceitos jurídicos.

Por que é necessária uma metodologia em primeiro lugar?

O metodologia é um meio de investigação para atingir esses propósitos de uma forma significativa.

Na pesquisa jurídica, a metodologia;

  • é uma investigação sistemática que fornece informações para orientar a pesquisa jurídica,
  • é a investigação treinada e científica dos princípios e fatos de qualquer assunto,
  • ajuda os leitores a compreender os métodos de pesquisa para descobrir a verdade e avaliar a validade dos resultados,
  • ajuda os pesquisadores a seguir uma lógica consistente na pesquisa e a prepará-los para enfrentar possíveis desafios,
  • é também uma forma importante de acumular conhecimento confiável e válido e explorar a relação entre teoria e prática.

Compreender os métodos de pesquisa ajudará os alunos a conduzir e redigir suas monografias, dissertações ou teses de pesquisa de forma sistemática.

No entanto, a metodologia de pesquisa é diferente dos métodos de pesquisa. O «método de investigação» normalmente implica todos os métodos e técnicas utilizados para recolher e processar os dados.

Assim, o método é uma ferramenta ou técnica como um método qualitativo ou quantitativo. Também inclui entrevistas, estudos de caso ou pesquisas.

Por outro lado, metodologia de pesquisa refere-se ao conjunto de métodos que orientam o pensamento dentro de um campo específico de estudo.

Uma metodologia é uma justificativa ou justificativa para a abordagem da pesquisa e se preocupa com a estratégia ou abordagem geral de realização da pesquisa.

A metodologia de pesquisa jurídica é obrigatória.

É vital para um pesquisador conhecer a metodologia de pesquisa e compreender os pressupostos das metodologias subjacentes.

Os investigadores também precisam de conhecer os critérios pelos quais podem decidir que determinadas metodologias serão aplicadas a determinados problemas.

A metodologia de pesquisa foi definida como o meio de aquisição de conhecimento científico. Também foi definido como um meio de reunir informações e dados para alcançar um resultado válido.

A metodologia de pesquisa jurídica é simplesmente uma forma de abordar e explorar questões ou questões jurídicas não resolvidas.

Metodologias de pesquisa jurídica são técnicas pelas quais se adquire informações juridicamente relevantes, analisa, interpreta e aplica-as para resolver problemas e apresentar as conclusões.

Por isso, a metodologia de pesquisa jurídica é uma forma científica e sistemática de resolver qualquer questão jurídica.

A metodologia da pesquisa jurídica também se refere a regras de interpretação de problemas e questões jurídicas. É um esforço sistemático de apresentar um argumento para chegar a um relato verdadeiro ou preciso do assunto em consideração.

O pesquisador deve explicar adequadamente por que usa um determinado método para avaliar os resultados da pesquisa feita pelo próprio pesquisador ou por terceiros. A adoção de uma metodologia específica deve decorrer do objetivo e da finalidade da pesquisa.

Tipos de Pesquisa Jurídica - Pesquisa Jurídica Qualitativa e Pesquisa Jurídica Quantitativa

Dois tipos de pesquisa jurídica são;

  1. Pesquisa Qualitativa para Pesquisa Jurídica.
  2. Pesquisa Quantitativa para Pesquisa Jurídica.

A principal diferença entre pesquisa jurídica qualitativa e quantitativa é esta; pesquisa jurídica qualitativa é uma pesquisa pura e aplicada, preocupada com a análise de teorias. Enquanto pesquisa jurídica quantitativa está preocupado em testar as teorias no mundo real.

Dependendo da natureza da questão de pesquisa, a pesquisa jurídica também é classificada como descritiva e exploratória.

A pesquisa descritiva tenta descrever sistematicamente uma situação, problema, fenômeno ou comportamento. Uma descrição preocupa-se em tornar coisas complicadas compreensíveis e simples.

A pesquisa exploratória é realizada para explorar áreas sobre as quais o pesquisador tem pouco ou nenhum conhecimento.. Envolve descobrir a razão das coisas, eventos e situações, mostrando por que e como elas se tornaram o que são. A pesquisa exploratória permite ao pesquisador formular problemas para um estudo mais aprofundado, desenvolver hipóteses e encontrar a melhor solução.

Outra distinção popular é entre pesquisa doutrinária pura e pesquisa não doutrinária ou empírica.

Enquanto o primeiro é um trabalho teórico realizado principalmente para adquirir novos conhecimentos sem uma aplicação específica, o último é um trabalho original realizado para adquirir novos conhecimentos com uma aplicação prática específica em vista.

A pesquisa jurídica doutrinária preocupa-se com a análise de teorias, conceitos, regras e princípios jurídicos.

A maior parte da pesquisa jurídica doutrinária baseia-se na abordagem do 'direito da letra preta', que se concentra no conhecimento do direito encontrado nos textos jurídicos, teorias jurídicas, estatutos e sentenças judiciais com 'pouca ou nenhuma referência ao mundo fora da lei. '

A pesquisa jurídica doutrinária ou “letra negra” visa explicar, sistematizar e esclarecer a lei sobre qualquer tópico específico por meio de um modo distinto de análise.

Nos últimos tempos, a investigação jurídica doutrinária pura tem sido criticada pela sua rigidez, âmbito mais restrito e inflexibilidade na abordagem de diversos contextos nos quais surgem e operam questões ou situações jurídicas.

Como resultado, a pesquisa jurídica empírica ou interdisciplinar emergiu como um tipo distinto de estudo jurídico nas faculdades de direito dos países ocidentais para estudar o direito nos contextos sociais e políticos mais amplos.

Esta pesquisa jurídica empírica e interdisciplinar emprega vários métodos de ciências sociais e humanas. De acordo com Epstein e King,

O que torna a investigação empírica é o facto de se basear em observações do mundo, ou seja, em dados, que é apenas um termo para designar factos sobre o mundo.

Estes factos podem ser históricos ou contemporâneos ou baseados em legislação ou jurisprudência, resultados de entrevistas ou pesquisas, ou os resultados de pesquisa de arquivo secundário ou coleta de dados primários.

Outra classificação importante é entre pesquisas qualitativas e quantitativas.

A pesquisa qualitativa preocupa-se com a explicação, interpretação e compreensão de fenômenos, questões ou coisas. Baseia-se principalmente na percepção e compreensão humana. Diz respeito à avaliação subjetiva do problema, situação e atitude social ou jurídica.

A pesquisa qualitativa é crítica nas ciências comportamentais, onde o objetivo é descobrir os motivos subjacentes do comportamento humano. Uma abordagem qualitativa preocupa-se com a avaliação subjetiva de atitudes, opiniões e comportamento.

A pesquisa quantitativa oferece:

  • relatórios ricamente descritivos de percepções, atitudes, crenças, pontos de vista e sentimentos individuais,
  • os significados e as interpretações são dados aos acontecimentos e às coisas, bem como ao seu comportamento;
  • mostra como estes são colocados juntos, de forma mais ou menos coerente e consciente,
  • em estruturas que dão sentido às suas experiências; e
  • ilumina as motivações que conectam atitudes e comportamentos, as descontinuidades ou
  • até mesmo contradições entre atitudes e comportamento, ou
  • como atitudes e motivações conflitantes são resolvidas em escolhas específicas feitas.

A pesquisa qualitativa está relacionada à análise de alguma ideia, doutrina ou teoria abstrata. Geralmente é usado para desenvolver novos conceitos ou para reinterpretar os existentes.

Na pesquisa qualitativa, os pesquisadores utilizam técnicas analíticas e suas visões sobre o assunto em questão.

A pesquisa qualitativa varia os antigos princípios legais estabelecidos. Pode levar à descoberta de uma nova teoria, refinamento ou interpretação de uma teoria, princípios ou questões jurídicas existentes.

Por outro lado, a investigação empírica baseia-se apenas na experiência ou na observação, muitas vezes sem a devida consideração pelo sistema e pela teoria.

A pesquisa qualitativa envolve julgamento, interpretação ou avaliação crítica mais explícita de um problema.

No que diz respeito ao estudo jurídico, o método qualitativo é aplicado para analisar proposições jurídicas ou teorias ou doutrinas jurídicas e explorar proposições e casos legais existentes à luz de proposições ou doutrinas.

A pesquisa qualitativa do direito envolve o estudo de questões teóricas gerais sobre a natureza das leis e dos sistemas jurídicos, a relação do direito com a justiça e moralidadee problemas de aplicação do direito em uma determinada sociedade.

A principal vantagem do método qualitativo é que a análise qualitativa baseia-se nas habilidades interpretativas do pesquisador e abre a possibilidade de mais de uma explicação ser válida.

A principal crítica à pesquisa qualitativa é que ela é muito impressionista e subjetiva. As descobertas qualitativas dependem demasiado da avaliação subjectiva dos pontos de vista do investigador sobre o que é significativo.

Os resultados da investigação qualitativa tendem a ser abertos, o que é difícil de generalizar: muitos trabalhos de investigação qualitativa são doutrinários. Observação, entrevista, estudo de caso, exame e análise são o método mais comum de pesquisa qualitativa.

A pesquisa quantitativa para pesquisa jurídica é baseada na medição de quantidade ou quantidade. Consiste em contar com que frequência as coisas acontecem. Aplica-se a fenômenos que podem ser expressos em termos de quantidade. Também é conhecido como método estatístico.

Porque na pesquisa quantitativa, os pesquisadores usam uma série de métodos estatísticos e generalizações para determinar o significado dos dados.

Tem sido a estratégia dominante para a realização de pesquisas sócio-jurídicas. Os métodos quantitativos frequentemente testam ou verificam teorias ou hipóteses existentes.

A pesquisa quantitativa envolve encontrar uma solução para um problema da vida real que requer uma ação ou decisão política.

A pesquisa quantitativa também testa muitas variáveis através da geração de dados primários. O processo de generalização de uma amostra para uma população é um exemplo de metodologia de pesquisa quantitativa em vez de qualitativa.

A pesquisa quantitativa pode contribuir com novas evidências, desafiar velhas teorias e ajudar no esclarecimento conceitual.

Normalmente, a abordagem quantitativa envolve a geração de dados em forma quantitativa, que podem ser submetidos a análises quantitativas rigorosas de forma formal e rígida. A quantificação pode tornar mais fácil agregar, comparar e resumir dados.

Os dados podem ser coletados a partir de pesquisas por questionário, inquéritos para apuração de fatos e entrevistas. A análise de dados é um dos componentes importantes da pesquisa quantitativa.

O método quantitativo também é por vezes denominado abordagem empírica, uma vez que os dados são recolhidos para testar a hipótese ou examinar as proposições ou interpretações dos resultados.

  1. Primeiro, os dados quantitativos são recolhidos por diversas formas de técnicas estatísticas baseadas nos princípios da matemática e da probabilidade. A análise parece basear-se em leis objetivas e não nos valores do pesquisador.
  2. Em segundo lugar, os testes estatísticos de significância dão aos investigadores credibilidade adicional em termos das suas interpretações e da confiança nas suas descobertas.
  3. Terceiro, a análise quantitativa de dados fornece uma base sólida para descrição e análise.
  4. Quarto, grandes volumes de dados quantitativos podem ser analisados de forma relativamente rápida, desde que a preparação e o planeamento adequados tenham ocorrido com antecedência.
  5. Finalmente, tabelas e gráficos organizam eficazmente os dados quantitativos e comunicam as conclusões a outros.

O método de pesquisa quantitativa complementa a pesquisa jurídica tradicional para investigar as complexidades da lei, dos atores jurídicos e das atividades jurídicas.

A pesquisa jurídica quantitativa é principalmente aplicável para a realização de pesquisas não doutrinárias, empíricas e sócio-jurídicas. A objetividade continua sendo o aspecto principal da pesquisa quantitativa.

Um conjunto de regras ou procedimentos deve ser seguido na investigação quantitativa, embora a investigação qualitativa tenda a ser mais flexível.

Embora os valores e preconceitos do pesquisador influenciem a pesquisa qualitativa, a pesquisa quantitativa procura relatar as descobertas de forma objetiva e o papel do pesquisador é neutro.

Até certo ponto, depende da formação do pesquisador e da natureza das questões de pesquisa. Mas escolher um método em detrimento de outros pode ser contraproducente para o avanço dos estudos jurídicos.

Em vez disso, combinar abordagens quantitativas e qualitativas pode ser a melhor forma de atingir os objectivos do trabalho de investigação.

É geralmente aceito que o uso de mais de um método fortalece a validade e a credibilidade da pesquisa.

5 abordagens para pesquisa jurídica – metodologias de pesquisa jurídica

A metodologia de pesquisa jurídica não é particularmente diferente da metodologia de pesquisa utilizada em outras disciplinas.

No entanto, possui alguns atributos especiais em relação aos materiais de origem e às formas de abordar os problemas.

Os pesquisadores devem ter clareza sobre a metodologia e as razões para escolher uma metodologia específica.

Uma pesquisa jurídica eficaz dificilmente é possível sem uma compreensão adequada da metodologia de pesquisa. Um pesquisador deve justificar as escolhas metodológicas importantes em seu trabalho.

A pesquisa jurídica pode ser uma combinação de métodos de interpretação e aplicação de informações juridicamente relevantes. Não existem abordagens únicas ou universais para metodologias de pesquisa jurídica.

Existem várias abordagens para Metodologia de Pesquisa, como analítico, interdisciplinar, comparativo e histórico.

Um tipo particular de metodologia depende consideravelmente a questão de pesquisa formulada e as fontes de materiais escolhidas.

  1. Abordagem analítica para pesquisa jurídica
  2. Abordagem Interdisciplinar da Pesquisa Jurídica
  3. Abordagem sócio-jurídica da pesquisa jurídica
  4. Abordagem Comparativa à Pesquisa Jurídica
  5. Abordagem Histórica da Pesquisa Jurídica
abordagens analíticas para pesquisa jurídica

Um método analítico é o mais importante e amplamente utilizado na pesquisa jurídica. A análise envolve uma explicação da causa e efeito de fenômenos complexos.

A habilidade analítica é crucial para qualquer pesquisador jurídico. A abordagem analítica requer raciocínio lógico e interpretação de leis para concluir.

Uma vez que as leis são escritas em termos abstratos e gerais pela sua natureza, é tarefa dos investigadores e dos juízes aplicar essas regras gerais a circunstâncias factuais concretas, para as quais aplicam a lógica e o bom senso para analisar e interpretar as palavras da lei.

Na maioria dos casos, a abordagem analítica trata de um ou mais conceitos jurídicos ou teorias jurídicas.

A pesquisa analítica utiliza métodos interpretativos para examinar casos, estatutos e outras formas de direito para procurar, construir ou reconstruir regras e princípios.

Uma abordagem analítica às vezes é vista como pesquisa doutrinária.

A pesquisa doutrinária do direito fornece uma exposição sistemática das regras que regem uma categoria jurídica específica, analisa a relação entre as regras, explica áreas de dificuldade e prevê desenvolvimentos futuros.

As fontes do direito têm sido os materiais primários, as doutrinas jurídicas, a jurisprudência e a legislação. O a pesquisa jurídica está em grande parte confinada a uma análise da doutrina jurídica.

A característica saliente da abordagem analítica é a sua ênfase na autonomia do direito como uma disciplina ou ciência independente.

Assim, a abordagem analítica da investigação jurídica pode levar a um “raciocínio próximo”.

Establecimiento de estándares y métodos para medir el desempeño

A pesquisa analítica é aplicada para dissecar os termos de uma disposição, tirar conclusões deles e aplicar as conclusões para resolver questões jurídicas.

Medir el rendimiento

  • Determinar si el desempeño coincide con el estándar
  • Tomar medidas correctivas

Pasos del proceso de control

El proceso de control permite configurar, medir, combinar y ajustar actividades comerciales como producción, embalaje, entrega y más. Enlace: https:/...

A análise normativa diz respeito à crítica racional e à avaliação de doutrinas e regras jurídicas. El control es una parte esencial del.

De hecho, sin el proceso de control, toda la gestión queda obsoleta. Debido a que no podrá saber cómo está funcionando su plan, ¿está completamente implementado?

Metodologias de Pesquisa Jurídica

Además, sin control, no se puede liderar de manera accionable la fuerza laboral.

A abordagem interdisciplinar da pesquisa jurídica avança o Los 4 Pasos del Proceso de Control son; Estos pasos se describen a continuación;

Las normas son, por definición, simplemente criterios de desempeño.

Son los puntos seleccionados en todo un programa de planificación en el que

El desempeño se mide para que los gerentes puedan recibir señales sobre cómo van las cosas.

y así no tener que vigilar cada paso en la ejecución de los planes.

Los elementos estándar forman objetivos mensurables y redactados con precisión y son especialmente importantes para el control.

En una empresa industrial, los estándares podrían incluir objetivos de ventas y producción, objetivos de asistencia al trabajo, registros de seguridad, etc.

A investigação interdisciplinar é “investigação concebida para assegurar uma compreensão mais profunda do direito como um fenómeno social, incluindo investigação sobre as implicações históricas, filosóficas, linguísticas, económicas, sociais ou políticas do direito”.

La medición del desempeño frente a los estándares debe medirse con visión de futuro para que las desviaciones puedan detectarse antes de que ocurran y evitarse mediante las acciones apropiadas.

Se utilizan métodos para medir el rendimiento.

de la organización.

Si los estándares se elaboran apropiadamente y si se dispone de medios para determinar exactamente qué están haciendo los subordinados, la evaluación del desempeño real o esperado es bastante fácil.

abordagem sociojurídica da pesquisa jurídica

Pero hay muchas actividades para las cuales es difícil desarrollar estándares precisos y muchas actividades son difíciles de medir.

Puede ser bastante sencillo, por ejemplo, establecer estándares de horas de trabajo para la producción de un artículo producido en masa, y puede ser igualmente sencillo medir el desempeño con respecto a estos estándares, pero en los tipos de trabajo menos técnicos.

A sociologia do direito procura explicar a natureza do direito em termos das condições empíricas dentro das quais existem doutrinas e instituições em sociedades ou condições sociais específicas.

A pesquisa sócio-jurídica utiliza as teorias e métodos das ciências sociais para explorar o funcionamento do direito, dos processos jurídicos e das instituições jurídicas.

Determinar si el desempeño coincide con el estándar es un paso fácil pero importante en el proceso de control. Implica comparar los resultados medidos con los estándares ya establecidos.

De acordo com a abordagem sócio-jurídica, a análise do direito está directamente ligada à análise da situação social a que o direito se aplica e deve ser colocada na perspectiva dessa situação.

Contrasta com o textual ou 'Por ejemplo, el gerente de la sucursal de un banco podría descubrir que se necesitan más empleados de ventanilla para cumplir con el estándar de espera de cinco minutos para el cliente establecido anteriormente.El control también puede revelar normas inadecuadas; en ese caso, la acción correctiva podría implicar un cambio en los estándares originales en lugar de un cambio en el desempeño.

Sobre a relação entre direito e sociologia, Roger Cotterrell escreveu sucintamente.

Siempre se debe hacer hincapié en idear formas constructivas de elevar el desempeño a un nivel determinado, en lugar de limitarse a identificar un fracaso pasado.

Como ya cubrió 4 pasos en el proceso de control en la gestión empresarial; consulte explore la guía completa en pressupostos culturais ou concepções de relevância política.

Além disso, tanto as investigações jurídicas como as sociológicas procuram tipicamente ver estes fenómenos como parte, ou potencialmente parte de, uma estrutura social integrada.

Assim, o direito e a sociologia partilham um assunto básico fundamentalmente semelhante, apesar das suas diferenças radicais em método e perspectiva.

O direito é a arte prática do controle sistemático das relações e instituições sociais.

A sociologia é o empreendimento científico que busca o conhecimento sistemático deles.

A abordagem sócio-jurídica ajuda os investigadores a compreender melhor os objectivos políticos de qualquer norma jurídica.

O sociológico vê o direito como uma emanação de elementos sociais e não depende da autoridade do Estado, mas da compulsão social.

A pesquisa sócio-jurídica avalia o impacto das doutrinas jurídicas na sociedade.

A abordagem sociológica tenta investigar através de dados empíricos como o direito e as instituições jurídicas afetam as atitudes humanas e que impacto criam na sociedade; avaliar a adequação das instituições jurídicas às necessidades da sociedade.

Visa compreender os fenômenos jurídicos e sociais, enquanto a principal preocupação da abordagem tradicional da jurisprudência é realizar estudos analítico-linguísticos.

Utilizar a lei como instrumento de política governamental requer a compreensão do contexto socioeconómico em que a lei funciona e quais os efeitos que poderão ocorrer.

Na pesquisa sócio-jurídica, o direito é considerado um dos instrumentos da política social.

Uma ampla gama de estratégias é utilizada na pesquisa sócio-jurídica, desde a análise estatística da pesquisa até a análise das entrevistas.

Ao utilizar essas estratégias, a abordagem sócio-jurídica aborda as seguintes questões:

  1. quais são os efeitos da lei e da ordem jurídica na ordem social?
  2. Quais são os efeitos da ordem social na ordem jurídica?
  3. Quais são os efeitos da lei sobre a atitude, o comportamento, as instituições e as organizações da sociedade, a manutenção e a mudança da sociedade?
  4. Quais são os efeitos das atitudes, manutenção, comportamento, instituições e organizações na sociedade, manutenção e mudança da sociedade sobre a lei?
abordagem comparativa à pesquisa jurídica

Cada sistema jurídico tem sua história, princípios e procedimentos fundamentais e formas de fontes de publicação jurídica.

Mas neste mundo globalizado e interdependente, o estudo da legislação de outros países está a assumir maior importância.

A legislação de países estrangeiros está a tornar-se cada vez mais relevante nos processos judiciais nacionais que envolvem transações internacionais.

A interação entre vários sistemas jurídicos é por vezes descrita como um sistema jurídico transnacional. O método comparativo é vantajoso para a compreensão do sistema jurídico transnacional.

A abordagem comparativa como um estudo de sistemas jurídicos por comparação assumiu uma importância mais ampla devido ao processo de globalização em curso.

Com o crescimento das ordens jurídicas internacionais e regionais, compreender as formas e métodos de estudo jurídico comparativo tornou-se essencial para todos aqueles que desejam compreender e participar nos debates jurídicos atuais.

Mesmo é necessário um método comparativo para compreender a lei no seu próprio país. O método comparativo oferece como são analisadas as diferenças entre as leis de diversos países e sistemas.

Desta forma, aprecia-se um estudo comparativo pelo seu benefício ao ordenamento jurídico nacional.

O método comparativo visa harmonizar, mas não unificar, as diferentes leis e culturas jurídicas do mundo.

Porque muitas vezes, a abordagem comparativa pode envolver uma comparação de dois ou mais sistemas jurídicos nacionais.

Mas, sem dúvida, o estudo comparativo ajuda a harmonizar as leis dos diferentes países.

Neste sentido, tem uma dimensão internacional.

A abordagem comparativa considera a visão interna dos sistemas jurídicos estudados e ajuda a compreender a estrutura institucional de conceitos, pensamento e organização dos sistemas em questão.

O método comparativo denota diferentes maneiras de abordar o mesmo problema e encontrar diferenças. A comparação pode dar uma visão mais completa do assunto sob investigação.

Contudo, o objetivo do método comparativo não é extrair meras semelhanças e diferenças.

Em vez disso, pode permitir que um investigador sugira uma solução adequada para problemas jurídicos à luz de um conjunto de regras ideais para uma determinada sociedade.

O método comparativo pode conferir as seguintes 3 vantagens:

  1. a investigação comparativa pode levantar dúvidas sobre a utilidade ou pontos de vista firmemente arraigados;
  2. pode sugerir uma solução adequada para problemas jurídicos;
  3. Um estudo comparativo tende a ajudar a identificar quais princípios, aplicáveis na área em questão, são fundamentais e quais são secundários.
Abordagem Histórica da Pesquisa Jurídica

A abordagem histórica analisa a evolução e o desenvolvimento de um sistema particular de regras para fornecer um contexto contextual útil e uma compreensão mais completa de uma determinada disciplina jurídica, tanto para o investigador como para o leitor final.

Uma abordagem histórica examina as relações entre o direito e os acontecimentos, mostrando como o direito foi utilizado em diferentes momentos para diferentes fins e como se conecta com interesses e classes, fins políticos e movimentos sociais.

A abordagem histórica ajuda-nos a compreender como uma determinada instituição ou lei evoluiu e porque necessita de uma mudança no contexto actual.

Considera que a história tem um papel significativo na explicação do estado actual do direito, do seu desenvolvimento passado e da provável direcção futura.

Por exemplo, para compreender o aspectos institucionais e jurisdicionais das Nações Unidas, uma breve visão de todo o conceito e história da segurança coletiva e da Liga das Nações poderia ser de alguma ajuda.

A abordagem histórica nos leva do passado ao futuro. A abordagem histórica serve para compreender a situação atual e mostra a tendência geral de mudanças nas leis.

Como o presente não pode ser devidamente compreendido sem algum conhecimento sobre o passado, o principal objectivo da abordagem histórica é obter uma perspectiva clara do presente.

Mas a investigação histórica pode visar o simples desejo académico do investigador de chegar a um relato preciso do passado.

As fontes da abordagem histórica incluem debates parlamentares sobre qualquer esquema legislativo, relatórios oficiais de inquérito, relatos de casos, reportagens de jornais e periódicos.

O pesquisador deve ter cuidado com a autenticidade e integridade dos documentos.

Ao avaliar documentos, o pesquisador deve tentar determinar sua integridade, verificando se houve acréscimos ou exclusões no texto original.

O pesquisador também deve manter a objetividade na interpretação dos acontecimentos históricos e mostrar uma perspectiva histórica adequada do tema em pesquisa.

Para este propósito, fontes primárias ou documentos históricos devem ser usados tão extensivamente quanto possível.

Não existe “nenhuma metodologia jurídica definida” que seja aplicável em todos os casos. Nem sempre é possível fazer distinções claras entre as formas acima de abordar a metodologia.

Um trabalho de pesquisa que se preocupa essencialmente em examinar um assunto também pode envolver comparação.

O pesquisador pode escolher o método mais adequado às questões e fontes disponíveis. Depende da natureza da questão de pesquisa.